Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Buracos negros podem ganhar massa com expansão do próprio Universo, diz estudo

© AP Photo / M. KornmesserRepresentação de buraco negro supermassivo fornecida pelo Observatório Europeu do sul em julho de 2018
Representação de buraco negro supermassivo fornecida pelo Observatório Europeu do sul em julho de 2018 - Sputnik Brasil, 1920, 08.11.2021
Nos siga no
Nos últimos seis anos, observatórios de ondas gravitacionais têm detectado fusões de buracos negros, comprovando a previsão da teoria da relatividade geral de Albert Einstein. Além disso, a relatividade geral é a base dos atuais modelos cosmológicos de um Universo sempre em expansão.
Desde a primeira observação da fusão de buracos negros em 2015, os astrofísicos têm sido surpreendidos por suas grandes massas. Eles inicialmente esperavam que os buracos negros teriam massas inferiores a cerca de 40 vezes a do Sol, escreve SciTechDaily.
No entanto, observatórios LIGO e Virgo detectaram muitos buracos negros com massas superiores a 50 massas solares, até mesmo alguns com cerca de 100 massas solares.
Novo estudo publicado no Astrophysical Journal Letters é o primeiro a mostrar que massas de buracos negros grandes e pequenas podem resultar de um único caminho em que os buracos negros ganham massa com a expansão do próprio Universo.
Astrônomos costumam modelar buracos negros dentro de um Universo não-expansível. "É uma suposição que simplifica as equações de Albert Einstein porque um Universo que não expande tem muito menos [fenômenos] para monitorar", disse o professor Kevin Croker, astrônomo do Departamento de Física e Astronomia da Universidade do Havaí em Manoa.
Porque os eventos individuais detectáveis pelos LIGO e Virgo duram apenas alguns segundos, ao analisar qualquer evento isolado, essa simplificação é sensata. Mas as fusões podem potencialmente demorar bilhões de anos. Durante o tempo entre a formação de um par de buracos negros e sua fusão posterior, o Universo cresce profundamente.
© Foto / DESY / Laboratório de Ciências da ComunicaçãoDepois que o buraco negro supermassivo destruiu a estrela, cerca de metade dos restos da estrela foi atirada de volta para o espaço, enquanto o restante formou um disco de acreção brilhante ao redor do buraco negro
Depois que o buraco negro supermassivo destruiu a estrela, cerca de metade dos restos da estrela foi atirada de volta para o espaço, enquanto o restante formou um disco de acreção brilhante ao redor do buraco negro - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Depois que o buraco negro supermassivo destruiu a estrela, cerca de metade dos restos da estrela foi atirada de volta para o espaço, enquanto o restante formou um disco de acreção brilhante ao redor do buraco negro
Se os aspetos mais sutis da teoria de Einstein forem cuidadosamente ponderados, então surge uma possibilidade espantosa: as massas de buracos negros poderiam crescer em sintonia com o Universo, um fenômeno que o professor Croker e colegas chamam de "acoplamento cosmológico".
O exemplo mais conhecido de material cosmologicamente acoplado é a própria luz, que perde energia à medida que o Universo cresce. "Pensamos em considerar o efeito oposto", disse Duncan Farrah, pesquisador e coautor do estudo. "O que os observatórios LIGO e Virgo observariam se os buracos negros fossem cosmologicamente acoplados e ganhassem energia sem a necessidade de consumir outras estrelas ou gás?"
Para pesquisar essa hipótese, os cientistas simularam o nascimento, a vida e a morte de milhões de pares de grandes estrelas. Quaisquer pares onde ambas as estrelas morreram para formar buracos negros foram então vinculados ao tamanho do Universo, a partir do tempo da morte das estrelas.
Enquanto o Universo continuava crescendo, as massas destes buracos negros cresciam à medida que eles rodavam em direção um ao outro. O resultado demonstrou não só que os buracos negros se tornavam mais maciços quando fundiam, mas também registrou o surgimento de muitas mais fusões.
Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала