Astrônomos finalmente descobrem origem do aglomerado de estrelas de forma estranha em Andrômeda

© Foto / ESA / Hubble, NASA / A. EvansDuas galáxias em fusão na constelação de Aires
Duas galáxias em fusão na constelação de Aires - Sputnik Brasil, 1920, 05.11.2021
Nos siga noTelegram
Uma nova pesquisa explica a origem de um aglomerado de estrelas de forma misteriosa no centro da galáxia de Andrômeda, a cerca de 2,5 milhões de anos-luz da Via Láctea.
Um estudo recente sugere que um "chute" gravitacional seria suficientemente poderoso para criar uma massa alongada de milhões de estrelas – tecnicamente conhecida como disco nuclear excêntrico – segundo a pesquisa publicada na revista Astrophysical Journal Letters.
Normalmente no centro de uma galáxia como Andrômeda haveria um aglomerado de estrelas simétrico.
"Quando as galáxias se fundem, seus buracos negros supermassivos se juntam e mais tarde se tornam um único buraco negro", disse o astrofísico Tatsuya Akiba. "Queríamos saber: quais são as consequências disso?"
Os pesquisadores fizeram simulações em computador de colisões de buracos negros supermassivos. A força resultante seria suficiente para puxar as órbitas das estrelas perto de um centro galáctico criando uma forma esticada, como é visto em Andrômeda.
Quando as galáxias colidem, acredita-se que seus buracos negros giram em torno um do outro, ganhando velocidade antes de se chocarem. Isso gera uma grande quantidade de energia, liberada em pulsos de ondas gravitacionais.
Embora as ondas produzidas não afetem as estrelas da galáxia diretamente, elas podem afetar sua posição.
Com base nos modelos criados pelos pesquisadores, o buraco negro supermassivo restante pode ser empurrado em uma direção. Se o empurrão não for muito forte ou muito fraco, pode arrastar muitas estrelas próximas com ele.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала