EUA concluem que vírus da COVID-19 não foi elaborado como arma biológica pela China, diz relatório

© REUTERS / Aly SongPessoas usando máscaras andam em um mercado de rua nos primeiros meses do surto da doença coronavírus (COVID-19) em Wuhan, província de Hubei, China, 8 de fevereiro de 2021
Pessoas usando máscaras andam em um mercado de rua nos primeiros meses do surto da doença coronavírus (COVID-19) em Wuhan, província de Hubei, China, 8 de fevereiro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 29.10.2021
Nos siga noTelegram
Produção do documento seria uma resposta ao pedido de Biden feito em maio para investigar mais a fundo as origens do vírus. De acordo com o relatório da inteligência norte-americana, "o vírus não foi geneticamente modificado".
Nesta sexta-feira (29), Washington divulgou um relatório através do Escritório do Diretor de Inteligência Nacional dos EUA (ODNI, na sigla em inglês) no qual é relatado que, embora a Comunidade de Inteligência dos Estados Unidos (IC, na sigla em inglês) permaneça dividida sobre as origens do SARS-CoV-2, não se acredita que o vírus tenha sido desenvolvido pela China como arma biológica.
"Julgamos que o vírus não foi desenvolvido como arma biológica […]. A maioria das agências também avalia que o SARS-CoV-2 provavelmente não foi geneticamente modificado [...]. O IC avalia que as autoridades chinesas não tinham conhecimento prévio do vírus antes do surgimento inicial da COVID-19", diz um trecho do texto.
O IC também concluiu que "provavelmente [o vírus] emergiu e infectou humanos por meio de uma exposição inicial em pequena escala que ocorreu até novembro de 2019, com o primeiro grupo conhecido de casos surgindo em Wuhan, China, em dezembro de 2019".
© REUTERS / CHINA DAILYFuncionários de saúde em um laboratório em Wuhan, China, 5 de agosto de 2021
Funcionários de saúde em um laboratório em Wuhan, China, 5 de agosto de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Funcionários de saúde em um laboratório em Wuhan, China, 5 de agosto de 2021
Entretanto, o documento prossegue afirmando que Pequim não cooperou com as investigações sobre a origem do vírus, deixando "alguns resultados incertos".
Uma nota na segunda página do relatório diz que o texto é uma resposta à diretiva de maio do presidente dos EUA, Joe Biden, para explorar as origens do SARS-CoV-2, e que o documento foi elaborado "baseado em informações até agosto de 2021".
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала