Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para
 - Sputnik Brasil, 1920
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Manhã com Sputnik Brasil: destaques desta segunda-feira, 25 de outubro

© REUTERS / MOHAMED NURELDIN ABDALLAHManifestante com bandeira do Sudão na frente de uma pilha de pneus em chamas durante protestos em Cartum, 21 de outubro de 2021
Manifestante com bandeira do Sudão na frente de uma pilha de pneus em chamas durante protestos em Cartum, 21 de outubro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 25.10.2021
Nos siga no
Bom dia! A Sputnik Brasil está acompanhando as matérias mais relevantes desta segunda-feira (25), marcada pela saída de Roberto Jefferson da presidência do PTB, pela tentativa de golpe de Estado no Sudão e pelos planos de Israel de construir novos assentamentos na Cisjordânia.

Facebook tira do ar live em que Bolsonaro associou Aids a vacina da COVID-19

Pela primeira vez, o Facebook excluiu do ar uma live semanal do presidente Jair Bolsonaro em que ele citou uma notícia que associava a vacina anti-COVID-19 com a Aids. Segundo a matéria citada pelo chefe do Executivo na quinta-feira (21), as pessoas imunizadas contra a COVID-19 alegadamente se tornavam mais vulneráveis à Aids. A plataforma informou que a decisão foi tomada por desrespeito das políticas da empresa quanto a vacinas contra o coronavírus: "Nossas políticas não permitem alegações de que as vacinas de COVID-19 matam ou podem causar danos graves às pessoas". O vídeo foi bloqueado tanto no Facebook como no Instagram. Enquanto isso, de acordo com dados divulgados neste domingo (24), cerca de 153 milhões de brasileiros já receberam ao menos uma dose do imunizante anti-COVID-19, o que representa 71,76% da população do país. 51% de toda a população já completaram seu curso de vacinação, o que corresponde a mais de 109 milhões de pessoas. Entretanto, o Brasil confirmou mais 113 mortes e 4.338 casos de COVID-19, totalizando 605.682 óbitos e 21.727.316 diagnósticos da doença, informou o consórcio entre secretarias estaduais de saúde e veículos de imprensa.
© REUTERS / Ueslei MarcelinoPresidente Jair Bolsonaro e ministro da Economia Paulo Guedes durante coletiva de imprensa no Ministério da Economia, 22 de outubro de 2021
Presidente Jair Bolsonaro e ministro da Economia Paulo Guedes durante coletiva de imprensa no Ministério da Economia, 22 de outubro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Presidente Jair Bolsonaro e ministro da Economia Paulo Guedes durante coletiva de imprensa no Ministério da Economia, 22 de outubro de 2021

Roberto Jefferson sai da presidência do PTB

Neste domingo (24), Roberto Jefferson notificou seu afastamento da presidência do Partido Trabalhista Brasileiro, "por prazo indeterminado", segundo uma carta. Ele entregou o comando do PTB a Graciela Nienov, que ele disse estar pronta para o pleno exercício da função. Além disso, Jefferson atacou os deputados de oposição que alguns dias atrás pediram seu afastamento ao Tribunal de Justiça por alegações de mau uso do fundo partidário. Em carta, o ex-deputado classificou os opositores de "grupo conspiratório" e ameaçou: "Os que me acusam não posam para fotos com armas nas mãos, agem na surdina, encobertos, à espreita, à traição, covardemente, e atiram e assassinam vidas humanas. Essas diferenças devem ser ressaltadas aos olhos da justiça", cita o trecho o Correio Braziliense. Ontem (24), agora o ex-presidente do PTB foi internado no hospital do complexo penitenciário do RJ devido a complicações em seu estado de saúde. Sua defesa acredita que a situação é grave e apresenta risco de morte.
© Folhapress / Igo EstrelaEx-deputado Roberto Jefferson Monteiro Francisco, na sede do partido em Brasília
Ex-deputado Roberto Jefferson Monteiro Francisco, na sede do partido em Brasília  - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Ex-deputado Roberto Jefferson Monteiro Francisco, na sede do partido em Brasília

Ministros e líderes partidários são detidos no Sudão

Forças militares não identificadas invadiram a casa do primeiro-ministro sudanês Abdalla Hamdok, que foi colocado em prisão domiciliar, relatou hoje (25) o Arab News. Quatro ministros do gabinete sudanês e um representante civil do Conselho Soberano do Sudão foram detidos na madrugada desta segunda-feira (25), detalhou o jornal citando Al-Hadath TV. Conforme relatos, pessoas saíram às ruas de Cartum, capital do país, para protestar contra uma tentativa do golpe de Estado. Usuários das redes sociais notificaram interrupções da Internet e dos serviços telefônicos. A polícia da capital utilizou gás lacrimogênio contra manifestantes que exigiram uma transferência de poder dos militares para o governo civil no domingo (24), de acordo com um correspondente da Sputnik. Ontem (24), os manifestantes reuniram-se perto do palácio presidencial, bloqueando algumas ruas de Cartum. Em abril de 2019, ocorreu um golpe militar no país, provocado pelos protestos da população em meio à crise econômica. Em resultado do golpe, foi formado o Conselho Soberano transitório, constituído por 11 membros, cujo mandato expira em novembro. Depois disso, o conselho militar deve transferir o poder para o governo civil.
© AFP 2021 / -Manifestantes sudaneses levantam bandeiras nacionais em Cartum, Sudão, 25 de outubro de 2021
Manifestantes sudaneses levantam bandeiras nacionais em Cartum, Sudão, 25 de outubro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Manifestantes sudaneses levantam bandeiras nacionais em Cartum, Sudão, 25 de outubro de 2021

China vai defender paz mundial, diz presidente Xi no aniversário do retorno à ONU

O presidente chinês Xi Jinping prometeu na segunda-feira (25) que a China sempre vai defender a paz mundial e as regras internacionais. Em discurso marcando o 50º aniversário do retorno chinês às Nações Unidas, Xi disse que o país asiático sempre será "construtor da paz mundial" e "protetor da ordem internacional", segundo a agência de notícias estatal Xinhua. Em 1971, as Nações Unidas votaram para reconhecer a República Popular da China, expulsando Taiwan da organização mundial. "A China se opõe resolutamente a todas as formas de hegemonia e política de poder, unilateralismo e protecionismo", disse o presidente, chamando a uma maior cooperação global em questões como conflitos regionais, terrorismo, mudanças climáticas, cibersegurança e biossegurança. Além disso, ele exortou todos os países a promover os valores da paz, desenvolvimento, justiça, democracia, liberdade, utilizando a expressão "valores comuns de toda a humanidade" que mencionou pela primeira vez em um discurso em julho, no 100º aniversário do Partido Comunista chinês.
© REUTERS / CARLOS GARCIA RAWLINSPresidente chinês, Xi Jinping, no 100º aniversário da Revolução de 1911 ou Primeira Revolução Chinesa, no Grande Salão do Povo em Pequim, China, 9 de outubro de 2021
Presidente chinês, Xi Jinping, no 100º aniversário da Revolução de 1911 ou Primeira Revolução Chinesa, no Grande Salão do Povo em Pequim, China, 9 de outubro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Presidente chinês, Xi Jinping, no 100º aniversário da Revolução de 1911 ou Primeira Revolução Chinesa, no Grande Salão do Povo em Pequim, China, 9 de outubro de 2021

Número recorde de famílias brasileiras detidas na fronteira EUA-México

A crise migratória nos Estados Unidos vem batendo recordes, inclusive com famílias do Brasil. Segundo dados recentes, no ano fiscal de 2021, um número recorde de 483.846 pessoas chegou às fronteiras americanas, entre as quais estão muitas famílias brasileiras. Ao todo, foram 56.881 os brasileiros detidos na fronteira entre EUA e México desde 1º de outubro de 2020 a 30 de setembro de 2021, um aumento de 700% em relação ao mesmo período do ano passado. De acordo com alfândega americana, o número de brasileiros detidos neste ano é maior do que a soma dos três anos anteriores. Conforme aponta a professora da Faculdade de Educação de Harvard Gabrielle Oliveira, as mudanças na migração, que antes era quase exclusivamente mexicana, é o resultado de vários fatores. Os principais são a pandemia, as dificuldades econômicas nos países de origem e as promessas do presidente Joe Biden de fazer uma política migratória mais branda.
© AFP 2021 / DAMIAN SANCHEZImigrantes em uma caravana rumo à Cidade do México para solicitar asilo e status de refugiado, em Tapachula, México, 23 de outubro de 2021
Imigrantes em uma caravana rumo à Cidade do México para solicitar asilo e status de refugiado, em Tapachula, México, 23 de outubro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Imigrantes em uma caravana rumo à Cidade do México para solicitar asilo e status de refugiado, em Tapachula, México, 23 de outubro de 2021

Israel vai construir 1.300 assentamentos na Cisjordânia

No domingo (24), Israel anunciou uma licitação para cerca de 1.300 novas casas na Cisjordânia ocupada. Além disso, as autoridades também devem discutir propostas para mais 3.000 casas, o que já causou preocupações dos EUA. "Saúdo a promoção de mais de 1.000 unidades habitacionais. Vou continuar reforçando os assentamentos judeus na [Cisjordânia]", disse o ministro de Construção e Habitação israelense, Zeev Elkin, citado pelo jornal Haaretz. O veículo de imprensa detalhou que um total de 1.255 unidades vão ser contruídas. Adicionais 3.100 unidades habitacionais em assentamentos israelenses e 1.300 em cidades e aldeias palestinas na Cisjordânia poderiam ser aprovadas já nesta quarta-feira (27). Israel planeja dobrar a população judaica no Vale do Jordão até 2026 (atualmente há 6.400 assentados lá). Porém, o coordenador especial da ONU para processo de paz no Oriente Médio, Tor Wennesland, avisou o Conselho de Segurança que a construção de novos assentamentos vai significativamente minar as chances de chegar a uma solução de dois Estados e ressaltou que esses assentamentos são ilegais nos termos do direito internacional.
Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала