Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Ante crescimento militar da China, EUA deveriam mudar sua estratégia quanto a Pequim, diz mídia

© AFP 2021 / Noel CelisSoldados do Exército de Libertação Popular (ELP) da China de guarda na entrada da Cidade Proibida em Pequim, China, 12 de junho de 2021
Soldados do Exército de Libertação Popular (ELP) da China de guarda na entrada da Cidade Proibida em Pequim, China, 12 de junho de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 19.10.2021
Nos siga no
O constante desenvolvimento militar da China continua impressionando os EUA, temendo que, com o tempo, o gigante asiático possa desferir um golpe profundo na contestada hegemonia norte-americana.
Segundo um artigo do Financial Times, Pequim teria conduzido um "lançamento secreto" para testar um suposto míssil hipersônico. No entanto, a China negou tal acontecimento, afirmando que tudo apenas se tratou de um ensaio de veículo espacial.
"É importante notar a tendência imparável da China em reduzir sua diferença dos EUA em algumas tecnologias militares importantes, já que Pequim está desenvolvendo continuamente sua força econômica e tecnológica", reporta o Global Times.
Entretanto, no futuro próximo, o foco militar do gigante asiático se concentrará no estreito de Taiwan e no mar do Sul da China. Nesse aspecto, segundo o Global Times, "é inevitável que a China tenha vantagem sobre a força militar dos EUA nestas áreas graças à proximidade geográfica e ao aumento contínuo da sua presença [...] A superioridade militar convencional dos EUA em todo o mundo não se traduzirá em uma garantia de superioridade nestas regiões".
Porém, não obstante as preocupações de Washington ante o desenvolvimento nuclear da China, Pequim afirma não ter planos de construir uma força nuclear do mesmo tamanho que a dos EUA. Ainda assim, o gigante asiático pretende melhorar a qualidade de sua dissuasão nuclear para fazer com que as autoridades norte-americanas abandonem completamente quaisquer ideias de chantagem nuclear contra Pequim.
A mídia chinesa revela, no entanto, que a maior capacidade de sobrevivência e eficácia dos mísseis nucleares da China está, certamente, sendo acelerada através de uma variedade de novos testes.
"Não importa que os gastos militares dos EUA aumentem e quanto equipamento novo adquiram, é impossível para os EUA continuarem disfrutando de uma superioridade militar esmagadora nas áreas costeiras da China. Washington precisa ser realista e repensar sua abordagem em relação à China", afirma a matéria.
Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала