Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Premiê australiano reconhece que seus futuros submarinos podem ameaçar China

© AP Photo / Primeiro-sargento Amanda GraySubmarino de ataque rápido USS Missouri (SSN 780), da classe Virginia, saindo da base conjunta de Pearl Harbor-Hickam para uma implantação programada na zona da responsabilidade da 7ª Frota, em imagem fornecida pela Marinha dos EUA
Submarino de ataque rápido USS Missouri (SSN 780), da classe Virginia, saindo da base conjunta de Pearl Harbor-Hickam para uma implantação programada na zona da responsabilidade da 7ª Frota, em imagem fornecida pela Marinha dos EUA - Sputnik Brasil, 1920, 27.09.2021
Nos siga no
A Austrália reconhece que seus futuros submarinos nucleares podem representar uma ameaça para a China, afirmou neste domingo (26) primeiro-ministro australiano Scott Morrison.
Ao ser questionado se está preocupado por os futuros submarinos nucleares da Austrália poderem ser encarados pela China como uma ameaça, o premiê disse o seguinte, em entrevista ao canal CBS News:
"Bem, eu acredito que deveria ser assim e é isso que eu estou tentando dizer. A Austrália tem todo o direito de tomar decisões em nosso interesse soberano para equipar nossas defesas, para trabalhar com nossos parceiros, para criar uma região mais estável, garantir um equilíbrio eficaz na região em causa, o que significa que todos os países podem negociar e interagir uns com os outros e aumentar a prosperidade de seu próprio povo".
No entanto, o premiê desmentiu que o controverso acordo de submarinos nucleares da Austrália venha a desencadear uma corrida armamentista com a China, insistindo que a guerra no Indo-Pacífico não é inevitável.
No âmbito da nova aliança de defesa AUKUS entre EUA, Reino Unido a Austrália, Camberra vai adquirir oito submarinos de propulsão nuclear. No entanto, os novos submersíveis não terão armas nucleares.
© AFP 2021 / Peter ParksSubmarino da classe Collins movido a diesel e energia elétrica da Marinha Real da Austrália no porto de Sydney, Austrália, 12 de outubro de 2016
Submarino da classe Collins movido a diesel e energia elétrica da Marinha Real da Austrália no porto de Sydney, Austrália, 12 de outubro de 2016 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Submarino da classe Collins movido a diesel e energia elétrica da Marinha Real da Austrália no porto de Sydney, Austrália, 12 de outubro de 2016
"Por muitos, muitos anos tem havido uma crescente militarização do Indo-Pacífico. Nós temos notado essa escalada há algum tempo, e isso antecede a nossa decisão", disse.
Morrison disse que a Marinha Real australiana precisa de uma força submarina de "longo alcance" em águas estrategicamente importantes, como o mar do Sul da China.
"A Austrália está muito longe de todos os lugares […] precisamos ter um longo alcance e [raio de] ação", concluiu.
Anteriormente, Zhao Lijian, porta-voz da chancelaria chinesa, disse que a aliança AUKUS ameaça a paz e a estabilidade na região, provocando uma corrida armamentista.
Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала