Fóssil de ave de 120 milhões de anos com cauda 'extravagante' é encontrado na China (FOTOS)

© Foto / Pixabay / OrnaWPlumas de pavão (imagem referencial)
Plumas de pavão (imagem referencial) - Sputnik Brasil, 1920, 19.09.2021
Nos siga noTelegram
Pesquisadores encontraram na China restos de um pássaro da era mesozoica, com penas ostensivas que são 50% mais longas que seu corpo.
Cientistas afirmam ter encontrado restos fossilizados que podem ter pertencido a uma ave, de 120 milhões de anos, que tinha aproximadamente o tamanho de um gaio-azul, relatou na quinta-feira (16) o portal EurekAlert.
O fóssil foi encontrado nos depósitos de Jehol Biota, nordeste da China, e recebeu o nome de Yuanchuavis kompsosoura, em nome de uma ave parecida com uma fênix da mitologia chinesa.
© Foto / Wang Min et al.Fóssil do pássaro Yuanchuavis Kompsosoura, com a ilustração indicando as penas da cauda do fóssil
Fóssil do pássaro Yuanchuavis Kompsosoura, com a ilustração indicando as penas da cauda do fóssil - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Fóssil do pássaro Yuanchuavis Kompsosoura, com a ilustração indicando as penas da cauda do fóssil
As duas penas extensas, acompanhadas por um leque de penas curtas, se estendem cerca de 30 centímetros e são aproximadamente 1,5 vez mais longas que o corpo da ave.
Os pesquisadores acreditam que a ave seria semelhante às espécies modernas da família Nectariniidae e quetzais, que usam suas caudas ostensivas para atrair companheiras.
"Esta nova descoberta demonstra vividamente como a interação entre as seleções natural e sexual moldou a cauda das aves desde sua história mais antiga. Yuanchuavis é a primeira aparição documentada de uma cauda longa em Enantiornithes, o grupo de aves mesozoicas de maior sucesso", explicou o pesquisador Wang Min, o autor principal do estudo publicado na revista Current Biology.
© Foto / Wang Min et al.Esquema do pássaro Yuanchuavis Kompsosoura. (A) Fotografia e (B) desenho de linhas. ce, vértebra cervical; cv, vértebra caudal; dv, vértebra dorsal; fe, fêmur; fi, fíbula; il, ílio; is, ísquio; mf, pena metatarsiana; mI-mV, metatarsianas I-V; pdI-pdIV, dígitos do pedal I-IV; pu, púbis; py, pigóstilo; rb, costela; re, retrizes; sk, crânio; sy, sinsancro; tf, pena de tibiotarsus; ti, tibiotarsus; un, processo uncinado. Barras de escala, 20 mm
Esquema do pássaro Yuanchuavis Kompsosoura. (A) Fotografia e (B) desenho de linhas. ce, vértebra cervical; cv, vértebra caudal; dv, vértebra dorsal; fe, fêmur; fi, fíbula; il, ílio; is, ísquio; mf, pena metatarsiana; mI-mV, metatarsianas I-V; pdI-pdIV, dígitos do pedal I-IV; pu, púbis; py, pigóstilo; rb, costela; re, retrizes; sk, crânio; sy, sinsancro; tf, pena de tibiotarsus; ti, tibiotarsus; un, processo uncinado. Barras de escala, 20 mm - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Esquema do pássaro Yuanchuavis Kompsosoura. (A) Fotografia e (B) desenho de linhas. ce, vértebra cervical; cv, vértebra caudal; dv, vértebra dorsal; fe, fêmur; fi, fíbula; il, ílio; is, ísquio; mf, pena metatarsiana; mI-mV, metatarsianas I-V; pdI-pdIV, dígitos do pedal I-IV; pu, púbis; py, pigóstilo; rb, costela; re, retrizes; sk, crânio; sy, sinsancro; tf, pena de tibiotarsus; ti, tibiotarsus; un, processo uncinado. Barras de escala, 20 mm
De acordo com os cientistas, uma cauda longa e elegante pode ter mais desvantagens do que vantagens, pois seria difícil para a ave sobreviver aos predadores.
"A complexidade que vemos nas penas de Yuanchuavis está relacionada a uma das razões pelas quais colocamos a hipótese de as aves vivas serem tão incrivelmente diversas, pois podem ser separadas em espécies diferentes simplesmente pelas diferenças na plumagem e diferenças no canto", concluiu Jingmai O'Connor, paleontólogo e um dos autores do estudo.
A mistura da cauda de Rhipidura e plumas emparelhadas de Yuanchuavis é uma característica que não foi encontrada em nenhuma outra ave. Os autores não estão certos do porquê de ter desenvolvido uma cauda tão complexa, mas, dado o inconveniente aerodinâmico de suas penas, concluíram que florestas densas permitiram que ela desenvolvesse tal plumagem, ao contrário dos ancestrais das aves modernas que puderam sobreviver à queda do asteroide há 66 milhões de anos.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала