Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Embaixador da China nos EUA supostamente pede ao governo Biden para 'calar a boca' em reunião

© Foto / Embassy of the People's Republic of China in the USAEmbaixador da China nos EUA, Qin Gang, em 31 de agosto de 2021
Embaixador da China nos EUA, Qin Gang, em 31 de agosto de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 12.09.2021
Nos siga no
Segundo mídia norte-americana, o embaixador chinês também disse que a política extrema do governo Trump em relação à China continua com a administração Biden.
Qin Gang, o recém-nomeado embaixador da China nos Estados Unidos, supostamente pediu às autoridades norte-americanas que fiquem caladas se a disputa em curso entre as duas superpotências econômicas não puder ser resolvida diplomaticamente, segundo a revista National Review.
Em uma videoconferência organizada pelo Comitê Nacional sobre as Relações EUA-China (NCUSCR, na sigla em inglês) realizada pelo Zoom, Qin teria dito: "Se não pudermos resolver nossas diferenças, por favor, calem a boca", segundo a mídia.
Qin foi nomeado embaixador da China em Washington no final do mês de julho.
De acordo com a revista, os supostos comentários do embaixador aconteceram após Evan Medeiros, professor da Universidade de Georgetown e ex-conselheiro do governo Obama para questões da China no Conselho de Segurança Nacional, perguntar quais medidas os EUA e a China poderiam tomar para melhorar as relações.
Antes de proferir o comentário citado, Qin teria pedido a Washington que parasse de exacerbar deliberadamente as tensões entre os dois países.
"A política extrema do governo anterior dos Estados Unidos em relação à China causou sérios danos às nossas relações, e tal situação não mudou. Até continua", queixou-se o embaixador.
Após a reunião, que ocorreu no dia 31 de agosto, a embaixada postou uma transcrição do discurso de Qin. O discurso condenou a direção atual da política de Washington em relação a Pequim e alertou os líderes contra as "consequências desastrosas" de usar um "manual da Guerra Fria". Entretanto, a sessão de perguntas e respostas na qual o embaixador fez o comentário não foi relatada.
Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала