Reabertura do consulado dos EUA em Jerusalém enviará 'mensagem errada' aos palestinos, diz Lapid

© AFP 2022 / JOHN THYSMinistro das Relações Exteriores de Israel, Yair Lapid, chega para uma reunião do Conselho de Relações Exteriores na sede da UE em Bruxelas em 12 de julho de 2021
Ministro das Relações Exteriores de Israel, Yair Lapid, chega para uma reunião do Conselho de Relações Exteriores na sede da UE em Bruxelas em 12 de julho de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 02.09.2021
Nos siga noTelegram
A reabertura do consultado americano em Jerusalém proposta pelo presidente Joe Biden é uma "má ideia" que vai enviar uma mensagem errada aos palestinos e à comunidade internacional, avisou o chanceler israelense Yair Lapid.
O Consultado Geral dos EUA em Jerusalém, que serviu de fato de embaixada americana para os palestinos desde meados dos anos 1990, foi fechado em março de 2019. O então presidente norte-americano, Donald Trump, declarou que a missão ficou irrelevante depois que ele removeu a embaixada dos EUA em Israel para Jerusalém, que é reivindicada como capital tanto por Israel, como pela Palestina.
Mas, depois de assumir a Casa Branca, Biden, que é forte apoiador da solução de dois Estados no conflito palestino-israelense, deixou claro que ele não vai seguir todas as políticas de seu predecessor, favoráveis a Israel.
Um dos passos anunciados pela administração Biden, em linha com a nova estratégia, foi a reabertura do consulado em Jerusalém.
Inicialmente, ele deveria começar a funcionar em maio deste ano, mas, de acordo com funcionários israelenses, Washington concordou em adiar a reabertura até novembro, para que o novo governo de Israel pudesse aprovar o orçamento e evitar conflitos na fragmentada coalizão de poder.
© AP Photo / Sebastian ScheinerFilha de Donald Trump, Ivanka Trump, e o secretário do Tesouro dos EUA, Steve Mnuchin, revelam placa de inauguração durante a cerimônia de abertura da nova embaixada norte-americana em Jerusalém, 14 de maio de 2018
Filha de Donald Trump, Ivanka Trump, e o secretário do Tesouro dos EUA, Steve Mnuchin, revelam placa de inauguração durante a cerimônia de abertura da nova embaixada norte-americana em Jerusalém, 14 de maio de 2018 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Filha de Donald Trump, Ivanka Trump, e o secretário do Tesouro dos EUA, Steve Mnuchin, revelam placa de inauguração durante a cerimônia de abertura da nova embaixada norte-americana em Jerusalém, 14 de maio de 2018
Segundo relatos, o assunto foi tocado de novo durante a visita do premiê israelense Naftali Bennett, na semana passada, a Washington, com Biden deixando claro que seu plano para reabrir a missão ainda estava em cima da mesa.
"Pensamos que é má ideia e dissemos à América que achamos uma má ideia", contou Lapid durante o briefing na quarta-feira (1º).
Tal passo de Washington "enviará uma mensagem errada, não apenas para a região, não apenas para os palestinos, mas também para outros países, e nós não queremos que isso aconteça", adicionou.
De acordo com o chanceler, isso pode também "desestabilizar" o que ele chamou de "interessante mas ainda delicada" estrutura do governo israelense. "Não acho que a administração americana deseje que isso aconteça", ressaltou.
O novo primeiro-ministro do país Bennett foi bastante assertivo quando questionado sobre a reabertura do consulado de Jerusalém pelo jornal The New York Times no mês passado: "Jerusalém é a capital de Israel. Não a capital de outras nações".
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала