Cientistas encontram maneira de determinar massa de buraco negro supermassivo

© NASA . JPL-CALTECHConcepção artística de um buraco negro supermassivo de ponto preto central primitivo
Concepção artística de um buraco negro supermassivo de ponto preto central primitivo - Sputnik Brasil, 1920, 13.08.2021
Nos siga noTelegram
Uma equipe de astrofísicos dos EUA descobriu que a massa de um buraco negro supermassivo pode ser determinada por sua relação com a luz que emite.

Os buracos negros supermassivos pesam entre 100 e 1 milhão de células solares. Embora geralmente estejam localizados no centro das galáxias e praticamente não emitam luz, eles só podem ser encontrados pelos efeitos da gravidade, exceto no caso de acreção, a força do gás interestelar e a matéria das estrelas próximas.

Nesses casos, os buracos negros emitem luz na faixa do visível e ultravioleta em intervalos definidos que variam de algumas horas a várias décadas.

© Foto / Grupo de Trabalho Científico do Telescópio Horizonte de Eventos (EHT - Multi-wavelength)A região em torno do buraco negro supermassivo no centro da galáxia M87, conforme visto em comprimentos de onda de rádio, visível e raio-X, pelo conjunto de telescópios ALMA e os telescópios espaciais Hubble e Chandra da NASA, respectivamente
Cientistas encontram maneira de determinar massa de buraco negro supermassivo - Sputnik Brasil, 1920, 13.08.2021
A região em torno do buraco negro supermassivo no centro da galáxia M87, conforme visto em comprimentos de onda de rádio, visível e raio-X, pelo conjunto de telescópios ALMA e os telescópios espaciais Hubble e Chandra da NASA, respectivamente

Astrofísicos norte-americanos fizeram a descoberta depois de compilar um banco de dados de 67 buracos negros supermassivos ativos. Os números mostram que o tempo de emissão de luz dos buracos negros está intimamente relacionado à sua massa, o estudo foi publicado na revista Science.

"Encontramos uma correlação entre esta escala de tempo e a massa do buraco negro que abrange toda a faixa de massas dos buracos negros supermassivos. Esta escala de tempo é consistente com a escala de tempo térmica esperada no raio de emissão ultravioleta na teoria padrão do disco de acreção", escreveram os cientistas.

Os pesquisadores concluíram que a emissão de luz é deve-se a flutuações aleatórias durante o processo de acreção e eles esperam que a correlação que encontraram também possa ser usada para detectar padrões de emissão de luz de buracos negros de massa média, uma classe de objetos que tem sido difícil de detectar até agora.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала