Afeganistão: em menos de 3 dias, Talibã tomam controle de 3ª capital provincial, Kunduz

© REUTERS / Abdul Khaliq AchakzaiPessoas em veículos com bandeiras do Talibã, organização terrorista, proibida na Rússia e em vários outros países (imagem referencial)
Pessoas em veículos com bandeiras do Talibã, organização terrorista, proibida na Rússia e em vários outros países (imagem referencial) - Sputnik Brasil, 1920, 08.08.2021
Nos siga noTelegram
O Talibã (organização terrorista proibida na Rússia e em outros países) capturou neste domingo (8) sua terceira capital provincial, a cidade de Kunduz, no nordeste do Afeganistão.

Junto com as cidades-chave de Zaranj, na província de Nimroz, e de Sheberghan, capital da província de Jawzjan, esta é a terceira conquista de tal natureza pelo grupo insurgente em menos de três dias, segundo as autoridades afegãs.

Em um comunicado, os membros do Talibã afirmaram que tomaram controle da sede da Polícia, do edifício do governador e da prisão da cidade. Horas antes, a agência de notícias AFP relatou uma série de confrontos armados entre as forças afegãs e os militantes no centro da cidade.

Vídeo: conflitos em andamento entre forças do governo e o Talibã na cidade de Kunduz, Afeganistão

Nas últimas semanas, os avanços do Talibã se intensificaram, tendo o grupo alegado deter o controle de mais de 90% do território afegão. O governo de Cabul, por sua vez, contestou essas reivindicações, minimizando as vitórias dos insurgentes nos últimos dois meses e apontando que elas carecem de valor estratégico.

O presidente do Afeganistão, Ashraf Ghani, disse na segunda-feira (2) que as autoridades traçaram um plano para deter o Talibã, prevendo que a situação no país estará "sob controle dentro de seis meses". Porém, Ghani também reconhece que o grupo rival em causa não é mais um "movimento disperso e inexperiente".

Tal como vários especialistas vinham avisando, as ofensivas Talibã têm se intensificado após a retirada das várias forças estrangeiras do país, sendo que os EUA esperam completar sua retirada em 11 de setembro, quando se assinalam 20 anos do ataque às Torres Gêmeas, em Nova York.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала