Pequim critica 'pseudomultilateralismo' dos EUA usado para intromissão em assuntos internos da China

© Sputnik / Ministério das Relações Exteriores da RússiaEm Guilin, na China, o chanceler chinês Wang Yi participa de coletiva de imprensa, após encontro com o seu homônimo russo, Sergei Lavrov, em 23 de março de 2021
Em Guilin, na China, o chanceler chinês Wang Yi participa de coletiva de imprensa, após encontro com o seu homônimo russo, Sergei Lavrov, em 23 de março de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 06.08.2021
Nos siga noTelegram
Ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, participou da Cúpula Anual da Ásia Oriental, onde acusou os EUA de tentarem armar nações regionais como parte de sua pressão estratégica contra Pequim.

"Diferentes países, tais como os EUA, estão tentando tirar partido desta plataforma multilateral e intrometer-se descaradamente nos assuntos internos da China", afirmou chanceler chinês, segundo South China Morning Post.

Wang Yi saudou o multilateralismo como o "caminho correto" para abordar questões complexas em todo o mundo, mas alertou os ministros das Relações Exteriores que participam destas plataformas que devem "ser cautelosos com todos os tipos de pseudomultilateralismo e, em particular, resistir à utilização do multilateralismo para fomentar a confrontação entre blocos".

Os comentários do chanceler chinês surgem depois que o secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin, visitou na semana passada várias nações, incluindo Cingapura, Vietnã e Filipinas, tentando estabelecer em cada caso novos laços de defesa e reforçar suas relações com Washington.

© AFP 2022 / Rolex Dela PenaSecretário de Defesa dos EUA Lloyd Austin (à esquerda) saúda o chefe do Estado-Maior das Forças Armadas das Filipinas, general Cirilito Sobejana (à direita) e o ministro da Defesa filipino Delfin Lorenzana (no centro), Manila, 30 de julho de 2021
Pequim critica 'pseudomultilateralismo' dos EUA usado para intromissão em assuntos internos da China - Sputnik Brasil, 1920, 06.08.2021
Secretário de Defesa dos EUA Lloyd Austin (à esquerda) saúda o chefe do Estado-Maior das Forças Armadas das Filipinas, general Cirilito Sobejana (à direita) e o ministro da Defesa filipino Delfin Lorenzana (no centro), Manila, 30 de julho de 2021

Entretanto, a vice-presidente dos EUA Kamala Harris também deve visitar no final deste mês Cingapura e Vietnã, onde ela vai "sublinhar que deve haver livre passagem para o comércio em todo o mar do Sul da China, e nenhum país deve desrespeitar o direito dos outros", disse um funcionário da Casa Branca à agência Reuters.

No final de julho, o presidente da China Xi Jinping exortou em seu discurso o Exército de Libertação Popular (ELP) a ter maior enfoque na defesa nacional e na força militar do país.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала