Índia: 'fungo branco' raro detectado no cérebro de pacientes recuperados de COVID-19

© AFP 2022 / PRAKASH SINGHO otorrinolaringologista Brajpal Singh Tyagi (E) realiza cirurgia para remover fungo preto em paciente que se recuperou da COVID-19 em um hospital em Ghaziabad. Foto de arquivo
O otorrinolaringologista Brajpal Singh Tyagi (E) realiza cirurgia para remover fungo preto em paciente que se recuperou da COVID-19 em um hospital em Ghaziabad. Foto de arquivo - Sputnik Brasil, 1920, 06.08.2021
Nos siga noTelegram
Com os casos de COVID-19 diminuindo gradualmente na Índia, o país agora enfrenta uma série de doenças fúngicas. Nos últimos dois meses, o país relatou vários casos de fungos pretos, brancos e amarelos.

Vários casos de aspergilose foram reportados na cidade de Hyderabad, no sul da Índia. A doença, provocada por fungos e apelidada de fungo branco, localizou-se no cérebro de pessoas que se recuperaram da COVID-19. Nesta sexta-feira (6), o hospital Yashoda confirmou à Sputnik que diagnosticou pelo menos quatro casos de aspergilose e o hospital Sunshine informou a presença de aspergillus, o fungo que causa aspergilose.

"As infecções fúngicas aumentaram muitas vezes durante a pandemia de COVID-19. Inclui casos de mucormicose [fungo preto] e casos de aspergilose [fungo branco]", afirmou Monalisa Sahu, consultora de doenças infecciosas do hospital Yashoda à Sputnik.

A aspergilose é uma infecção que atinge os pulmões e é causada por um fungo que vive no mofo, em ambientes internos e externos. A maioria das pessoas inala esporos de aspergillus sem ficar doente. No entanto, a infecção se desenvolve mais comumente em indivíduos com sistema imunológico enfraquecido.

Os órgãos mais comuns onde os fungos se desenvolvem incluem os seios paranasais, os olhos, os pulmões, o trato gastrointestinal e o cérebro, explica Sahu.

"Esses fungos têm tendência a causar abscessos cerebrais, uma forma grave da doença. Começa quando os fungos migram para o cérebro a partir dos locais adjacentes ou são disseminados através dos vasos sanguíneos. Desenvolve-se em poucas semanas se os antifúngicos apropriados para a duração adequada não forem administrados no momento certo", acrescenta a especialista.

O hospital Yashoda confirmou que todos os quatro casos foram tratados com sucesso, embora tenha se recusado a compartilhar detalhes sobre os pacientes.

© AFP 2022 / Prakash SinghO otorrinolaringologista Brajpal Singh Tyagi realiza uma cirurgia para remover o fungo preto de um paciente que se recuperou da COVID-19 em um hospital da Índia
Índia: 'fungo branco' raro detectado no cérebro de pacientes recuperados de COVID-19 - Sputnik Brasil, 1920, 06.08.2021
O otorrinolaringologista Brajpal Singh Tyagi realiza uma cirurgia para remover o fungo preto de um paciente que se recuperou da COVID-19 em um hospital da Índia

Caso no hospital Sunshine

P. Ranganadham, neurocirurgião consultor sênior do hospital Sunshine, afirmou que o paciente desenvolveu fraqueza nos membros e dificuldades de fala após se recuperar da COVID-19 em maio.

"Uma varredura do cérebro revelou formações semelhantes a coágulos que não diminuíram mesmo depois de tomar a medicação. Foi somente após a cirurgia que os médicos descobriram que um fungo branco formou um abscesso no cérebro do paciente", explicou Ranganadham ao jornal indiano Times Of India nesta sexta-feira (6).

Em julho, o ministro da Saúde indiano, Mansukh Mandaviya, afirmou que o país teve 45.374 casos de mucormicose e cerca de 4.300 pessoas morreram até agora por causa disso. Antes da pandemia, a Índia tinha cerca de 3.000 a 4.000 casos dessa doença, acrescentou o ministro.

O governo da Índia não compartilhou os dados relacionados à aspergilose.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала