Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para
 - Sputnik Brasil, 1920
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Manhã com Sputnik Brasil: destaques desta quinta-feira, 5 de agosto

© REUTERS / Site Oficial de Ali KhameneiNovo presidente do Irã, Ebrahim Raisi, recebe do líder supremo iraniano, aiatolá Ali Khamenei, o decreto de aprovação de sua presidência. Teerã, 3 de agosto de 2021
Novo presidente do Irã, Ebrahim Raisi, recebe do líder supremo iraniano, aiatolá Ali Khamenei, o decreto de aprovação de sua presidência. Teerã, 3 de agosto de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 05.08.2021
Nos siga no
Bom dia! A Sputnik Brasil está acompanhando as matérias mais relevantes desta quinta-feira (5), marcada pela posse do novo presidente do Irã, pela comparação dos incêndios florestais à ameaça do terrorismo feita pelo presidente da Turquia e pelas consequências das manifestações em memória da explosão em Beirute.

COVID-19 no Brasil: Ministério da Saúde nega prejuízo a SP em distribuição de vacinas

Nesta quarta-feira (4), o Ministério da Saúde disse que não tinha prejudicado o estado de São Paulo nas entregas de vacinas anti-COVID-19. A pasta respondeu assim à acusação do governador João Doria feita antes. Durante coletiva de imprensa para falar sobre a situação da pandemia em São Paulo, no mesmo dia (4), Doria afirmou que o Ministério da Saúde não encaminhou a quantidade de doses acordadas para chegar ao estado nesta semana. Conforme dados da Secretaria de Saúde de São Paulo, o ministério federal enviou um número de doses 50% menor da vacina da Pfizer para o estado. "Nenhuma unidade da federação é prejudicada no processo de distribuição das doses", disse o secretário-executivo do Ministério, Rodrigo Moreira da Cruz, adicionando que o principal objetivo no momento é nivelar a diferença do avanço da vacinação em todo o país. Entretanto, a campanha de imunização no estado de SP mostra resultados positivos. Assim, de acordo com dados recentes, 346 cidades paulistas, representando mais de 53% dos municípios, não registraram novas mortes por COVID-19 desde 28 de julho. O Brasil confirmou mais 1.118 mortes e 40.429 casos de COVID-19, totalizando 559.715 óbitos e 20.026.502 diagnósticos da doença, informou o consórcio entre secretarias estaduais de saúde e veículos de imprensa. Assim, o país superou uma nova triste marca de 20 milhões de casos da COVID-19.

© AP Photo / Bruna PradoResidente se prepara para receber vacina da AstraZeneca na favela Complexo da Maré no Rio de Janeiro, 29 de julho de 2021
Manhã com Sputnik Brasil: destaques desta quinta-feira, 5 de agosto - Sputnik Brasil, 1920, 05.08.2021
Residente se prepara para receber vacina da AstraZeneca na favela Complexo da Maré no Rio de Janeiro, 29 de julho de 2021

Bolsonaro ameaça atuar fora da Constituição, após ser incluído na investigação sobre ameaças às eleições

Nesta quarta-feira (4), o presidente Jair Bolsonaro voltou a atacar o Supremo Tribunal Federal e o Tribunal Superior Eleitoral após se tornar alvo de inquéritos judiciais por ameaças às eleições. Após as constantes críticas do sistema eleitoral pelo presidente, o ministro do STF Alexandre de Moraes aprovou ontem (4) a inclusão de Bolsonaro como investigado no inquérito que apura a divulgação de informações falsas sobre as eleições. A decisão atende ao pedido apresentado por unanimidade pelos ministros do TSE. Em uma entrevista à rádio Jovem Pan, o chefe do Executivo questionou se esses procedimentos são legais e disse, em resposta, que poderá agir fora "das quatro linhas da Constituição". "Olha, eu jogo dentro das quatro linhas da Constituição, e jogo, se preciso for, com as armas do outro lado. Nós queremos paz, queremos tranquilidade", alertou Bolsonaro e continuou: "[O inquérito] está dentro das quatro linhas da Constituição? Não está. Então, o antídoto para isso também não está dentro das quatro linhas da Constituição. Aqui ninguém é mais macho que ninguém".

© REUTERS / Adriano MachadoPresidente Jair Bolsonaro abraça novo ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, no Palácio do Planalto, Brasília, 4 de agosto de 2021
Manhã com Sputnik Brasil: destaques desta quinta-feira, 5 de agosto - Sputnik Brasil, 1920, 05.08.2021
Presidente Jair Bolsonaro abraça novo ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, no Palácio do Planalto, Brasília, 4 de agosto de 2021

Mundo em fogo: Erdogan chama incêndios de ameaça internacional comparável ao terrorismo e pandemia

Nesta quarta-feira (4), o presidente da Turquia Recep Tayyip Erdogan disse que os incêndios florestais têm virado uma ameaça internacional comparável com a pandemia do coronavírus e do terrorismo. "Incêndios florestais são uma ameaça internacional comparável à pandemia da COVID-19", disse ele ao canal de televisão turco A Haber, adicionando que o desastre "pode mesmo ser comparado à ameaça do terrorismo". O presidente turco relembrou que o mundo inteiro está enfrentando a ameaça de incêndios florestais, com florestas estando em chamas nos Estados Unidos, Canadá, Rússia, Espanha, Itália e também nos países africanos. "Eu falei com o presidente russo Vladimir Putin. Ele enviou três aviões e quatro helicópteros [para combate aos incêndios florestais]. Isso é solidariedade. O presidente do Azerbaijão Ilham Aliev anunciou sua intenção de enviar outra aeronave anfíbia para a Turquia", contou Erdogan. Conforme informou o líder turco, nos últimos oito dias, 187 incêndios eclodiram na Turquia, a maioria dos quais foram localizados. 15 incêndios continuam, 20 aeronaves e 51 helicópteros estão envolvidos na sua extinção. Desde a semana passada, foram registrados incêndios maciços em pelo menos 35 províncias turcas, principalmente na costa do Mediterrâneo e do mar Egeu. Oito pessoas morreram. Além disso, os incêndios na cidade de Milas, no sudoeste da Turquia, atingiram uma usina térmica, que teve de ser evacuada, informou na quarta-feira (4) o prefeito da cidade, Muhammet Tokat. Uma investigação das causas dos incêndios na Turquia está em andamento.

© REUTERS / Fred GreavesCasa em chamas em Grass Valley, Califórnia, EUA, 4 de agosto de 2021
Manhã com Sputnik Brasil: destaques desta quinta-feira, 5 de agosto - Sputnik Brasil, 1920, 05.08.2021
Casa em chamas em Grass Valley, Califórnia, EUA, 4 de agosto de 2021

Presidente eleito do Irã toma posse

Hoje (5), o presidente eleito iraniano Ebrahim Raisi, que venceu a eleição presidencial em junho, tomará posse em cerimônia oficial em Teerã. O evento solene deverá ser assistido por personalidades oficiais de 73 países, incluindo dez chefes do Estado, 20 presidentes de Parlamentos e 11 chanceleres, bem como representantes de 11 organizações internacionais e regionais. A eleição do novo presidente do Irã ocorreu em 18 de julho, resultando na vitória do chefe do Judiciário da República Islâmica, Ebrahim Raisi, com 61.95% dos votos. Entre os altos convidados estará o presidente do Afeganistão Ashraf Ghani, segundo relatou a emissora afegã Tolo News. A visita de Ghani acontecerá em meio à intensificação do confronto armado entre o governo afegão e o Talibã (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países). A situação no Irã é também muito tensa: a cerimônia de posse terá lugar no contexto de uma nova onda de críticas contra Teerã por seu alegado papel nos dois ataques recentes a petroleiros no golfo de Omã. Além disso, a República Islâmica enfrenta os desafios de ter sua economia restringida pelas sanções dos EUA, uma crise de saúde pública e negociações árduas sobre o acordo nuclear de 2015.

© REUTERS / Site Oficial de Ali KhameneiNovo presidente do Irã, Ebrahim Raisi, recebe do líder supremo iraniano, aiatolá Ali Khamenei, o decreto de aprovação de sua presidência. Teerã, 3 de agosto de 2021
Manhã com Sputnik Brasil: destaques desta quinta-feira, 5 de agosto - Sputnik Brasil, 1920, 05.08.2021
Novo presidente do Irã, Ebrahim Raisi, recebe do líder supremo iraniano, aiatolá Ali Khamenei, o decreto de aprovação de sua presidência. Teerã, 3 de agosto de 2021

Dia de luto para vítimas da explosão em Beirute

Milhares de residentes da capital libanesa saíram às ruas em manifestação um ano após a forte explosão no porto de Beirute, nesta quarta-feira (4). Conforme as mídias, os manifestantes se dirigiram à Praça dos Mártires, onde se situa o prédio do Parlamento, repetindo slogans antigovernamentais e chamando à demissão da cúpula política do país. A polícia usou gás lacrimogênio e canhões de água contra os manifestantes, alegadamente depois de estes terem atirado pedras nos agentes da polícia. Conforme informou o representante da Cruz Vermelha do Líbano, 84 pessoas ficaram feridas nos confrontos. Em 4 de agosto de 2020, o porto de Beirute foi devastado por uma fortíssima explosão, que causou danos em toda a área residencial em torno, matando ao menos 280 pessoas. Na ocasião, mais de 6.000 pessoas ficaram feridas. Segundo as autoridades locais, a explosão foi causada pela denotação de 2.750 toneladas de nitrato de amônio armazenadas no porto. A capital do Líbano foi reconhecida como uma área de desastre. Até hoje, a investigação não conseguiu apurar todas as consequências da tragédia e encontrar os culpados. As autoridades não descartaram que a tragédia tenha sido resultado de uma explosão deliberada e não de negligência, como a versão preliminar oficial estabeleceu.

© REUTERS / Mohamed Azakir Membros das forças de segurança prestam homenagem às vítimas da explosão no porto de Beirute no ano passado, Líbano, 4 de agosto de 2021
Manhã com Sputnik Brasil: destaques desta quinta-feira, 5 de agosto - Sputnik Brasil, 1920, 05.08.2021
Membros das forças de segurança prestam homenagem às vítimas da explosão no porto de Beirute no ano passado, Líbano, 4 de agosto de 2021

Garrafa de uísque no valor de US$ 5.800 oferecida a Pompeo pelo Japão teria desaparecido

O Departamento de Estado dos EUA informou na quarta-feira (4) que está realizando um inquérito sobre o desaparecimento de uma garrafa de uísque no valor de US$ 5.800 (cerca de R$ 30 mil) que o ex-secretário de Estado americano Mike Pompeo recebeu como presente do governo japonês em 2019. Conforme indica a lista de presentes recebidos por funcionários federais dos EUA de governantes estrangeiros em 2019, a garrafa de uísque foi presenteada a Pompeo em 24 de junho, mas sua localização atual é desconhecida, de acordo com o departamento. No início do dia, o jornal The New York Times relatou que Pompeo disse que não se lembrava de receber a garrafa e não sabia o que aconteceu com ela, bem como se houve um inquérito sobre sua localização. O relatório dizia que não era claro se Pompeu realmente recebeu a garrafa quando estava viajando na Arábia Saudita no dia 24 de junho de 2019. Funcionários dos EUA podem manter presentes que valem menos de US$ 390 (R$ 2.000) e devem pagar pelos que são acima desta soma. Adicionalmente, a Constituição dos EUA não permite aceitar presentes de governos estrangeiros sob ameaça de penalidade ou impeachment.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала