Descobertos 100 buracos negros escondidos no centro de aglomerado estelar

© Foto / LIGO/Caltech/MIT/Sonoma State (Aurore Simonnet)Buracos negros a 3 bilhões de anos-luz
Buracos negros a 3 bilhões de anos-luz - Sputnik Brasil, 1920, 06.07.2021
Nos siga noTelegram
A densidade destes buracos negros foi detectada no aglomerado estelar Palomar 5, localizado na constelação da Serpente, a uma distância de 76.000 anos-luz da Terra.

Uma equipe de astrônomos descobriu uma centena de buracos negros, constituindo aproximadamente 20% do aglomerado estelar.

Os astrofísicos sabiam que a maioria das fusões de buracos negros ocorre nos aglomerados estelares globulares, porém não sabiam qual o número de buracos que poderiam conter.

A pesquisa, publicada na Nature Astronomy, sugere que o Palomar 5 está se rompendo em pedaços, dando lugar às chamadas correntes estelares, finas cintas de matéria e estrelas que cercam nossa galáxia.

Os astrônomos tentaram reproduzir o processo das correntes estelares utilizando imagens detalhadas do Palomar 5, criando um modelo digital do aglomerado, que reproduz 11,5 bilhões de anos de sua existência.

Estes cálculos demonstram que a aparência moderna do Palomar 5, sua massa e estrutura das correntes de estrelas associadas só podem ser explicados se seu centro esconder 100-120 buracos negros com uma massa 17-20 vezes maior do que o Sol.

Estas discrepâncias são devido ao fato de que os buracos negros expulsam constantemente estrelas do aglomerado estelar, porém eles mesmos raramente o abandonam, aumentando simultaneamente a quantidade e conduzindo à formação de "correntes estelares".

Com a descoberta, os cientistas podem estimar a frequência com ocorre a fusão dos buracos negros nos aglomerados estelares e esclarecer seu papel na formação das ondas gravitacionais.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала