- Sputnik Brasil, 1920
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Covaxin: Flávio Bolsonaro participou de reunião com representante da farmacêutica, diz mídia

© AFP 2022 / Evaristo SáO senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) durante cerimônia em Brasília.
O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) durante cerimônia em Brasília. - Sputnik Brasil, 1920, 25.06.2021
Nos siga noTelegram
Segundo revista, o senador se encontrou através de videoconferência com representante da farmacêutica e com presidente do BNDES. Flávio disse que as insinuações da mídia são "maldosas".

Nesta sexta-feira (25), foi relatado pela revista Veja que o senador, Flávio Bolsonaro (Patriotas), participou de uma reunião com Francisco Maximiniano, dono da Precisa Medicamentos, e com o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Gustavo Montezano, em outubro de 2020 através de videoconferência.

A Precisa é a representante no Brasil do laboratório indiano Bharat Biotec, responsável pela vacina Covaxin, cujo contrato de compra pelo Ministério da Saúde está sob investigação.

Segundo a mídia, o banco informou que a reunião ocorreu para tratar de alternativas de financiamento para a XIS Internet Fibra, empresa também representada por Maximiniano, mas que as negociações não avançaram.

Em seu Twitter, Flávio Bolsonaro disse que era "lamentável" a tentativa da revista de o atacar com "insinuações maldosas", e que quem teve reunião com a Precisa, no dia 5 de abril desse ano, foi o senador Radolfe Rodrigues (Rede-AP).

​O contrato de compra da Covaxin e as suspeitas de irregularidade em torno dele são o tema principal da sessão da CPI da Covid hoje (25).

São aguardados o deputado Luís Miranda (DEM-DF) e o irmão dele, Luís Ricardo Miranda, servidor do Ministério da Saúde, para depoimentos.

O servidor diz ter sofrido pressão indevida para agilizar a tramitação de compra da vacina e o deputado diz que avisou ao presidente, Jair Bolsonaro, em março, sobre irregularidades nas negociações.

Hoje (25), o presidente disse que vai abrir um inquérito na Polícia Federal contra o deputado, afirmando que suas alegações são falsas, conforme noticiado.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала