'Tempestade pandêmica': pandemia da COVID-19 pioraria por causa da cepa indiana

© REUTERS / Danish IsmailFamiliares de homem que morreu da COVID-19 durante sua cremação em Srinagar, Índia, 25 de maio de 2021
Familiares de homem que morreu da COVID-19 durante sua cremação em Srinagar, Índia, 25 de maio de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 31.05.2021
Nos siga noTelegram
A cepa indiana B.1.617 da COVID-19 poderia desencadear uma "tempestade pandêmica", piorando a pandemia atual do vírus, afirmou cientista.

O doutor Teo Yik Ying, da Universidade Nacional de Cingapura, disse em entrevista ao jornal The Straits Times que a cepa indiana B.1.617 da COVID-19 pode agravar a pandemia da COVID-19 no mundo.

"O que é assustador é a velocidade a que esta variante é capaz de se espalhar e circular amplamente dentro da comunidade, muitas vezes ultrapassando a capacidade das unidades de rastreamento de contato de rastrear e isolar contatos expostos para quebrar as cadeias de transmissão", afirmou o cientista.

"Tem o potencial de desencadear uma tempestade pandêmica maior do que o mundo já viu", segundo Teo Yik Ying.

A estirpe B.1.617 teve mutação para se espalhar mais facilmente de pessoa para pessoa, e pode diminuir a proteção fornecida pela vacina, bem como pela infecção natural, embora apenas ligeiramente, dizem especialistas.

A cientista-chefe da Organização Mundial da Saúde, Soumya Swaminathan, disse que a B.1.617 é de 1,5 vez a duas vezes mais transmissível do que a estirpe que apareceu inicialmente em Wuhan.

A cepa foi identificada pela primeira vez no estado indiano de Maharashtra em outubro de 2020. É conhecida também como a cepa com mutação dupla e ultimamente foi encontrada em muitos países. De acordo com os médicos indianos, a estirpe poderia ter sido uma das causas da segunda onda do coronavírus na Índia.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала