SARS-CoV-2 penetra e se incorpora ao genoma humano? Cientistas respondem

© REUTERS / Sarah MeyssonnierPessoas usando máscaras de proteção caminham por rua em Paris, França, 27 de maio de 2021
Pessoas usando máscaras de proteção caminham por rua em Paris, França, 27 de maio de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 31.05.2021
Nos siga noTelegram
Novo estudo internacional revela que não há evidências de que o vírus SARS-CoV-2 consiga penetrar e se integrar ao DNA humano.

Cientistas australianos, espanhóis e britânicos estudaram detalhadamente a estrutura do DNA de células infetadas pelo vírus SARS-CoV-2 e não encontraram provas de que o vírus tenha se incorporado ao genoma humano, segundo uma pré-publicação no portal bioRxiv.

"Nos experimentos não encontramos nenhuma evidência que o SARS-CoV-2 seja capaz de se integrar ao genoma da célula infetada, o que significa que isso ou é impossível, ou ocorre em casos isolados", afirmaram os pesquisadores.

Como parte do estudo, os cientistas infectaram uma cultura de células cancerosas com COVID-19 para ver se apareceriam moléculas de DNA com uma cópia do genoma do coronavírus, ou novas inserções, no genoma das células infectadas.

Além disso, os cientistas tomaram medidas para diminuir o risco de erros ou coincidências acidentais que pudessem distorcer o resultado final.

De acordo com os resultados do experimento, os pesquisadores não conseguiram encontrar um único exemplo de integração total do vírus SARS-CoV-2 ao DNA humano, o que sugere que o coronavírus não é capaz de se incorporar ao genoma humano em princípio ou isso ocorre muito raramente.

Desde o início da pandemia, o Brasil registrou 16.515.120 casos e 461.931 óbitos da COVID-19. No mundo há 170.403.729 casos confirmados e 3.542.933 mortes do coronavírus.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала