Governo russo diz que pode reduzir tráfego do Google caso 'ameaças superem benefícios'

© Sputnik / Алексей Никольский / Abrir o banco de imagensEm Moscou, Andrei Lipov, chefe do Serviço Federal de Vigilância na Área das Comunicações, Tecnologias da Informação e Mass Media (Roskomnadzor), participa de reunião com presidente russo Vladimir Putin, em 10 de agosto de 2020
Em Moscou, Andrei Lipov, chefe do Serviço Federal de Vigilância na Área das Comunicações, Tecnologias da Informação e Mass Media (Roskomnadzor), participa de reunião com presidente russo Vladimir Putin, em 10 de agosto de 2020 - Sputnik Brasil, 1920, 27.05.2021
Nos siga noTelegram
O Serviço Federal de Vigilância na Área das Comunicações, Tecnologias da Informação e Mass Media (Roskomnadzor) da Rússia, afirmou que pode aplicar medidas mais sérias contra o Google.

Segundo Andrei Lipov, chefe do Roskomnadzor, ainda não há a necessidade de aplicar medidas mais sérias contra o Google - além de multas -, mas caso as ameaças da plataforma excedam seus benefícios, uma abordagem mais radical é possível.

"Deve haver um equilíbrio em tudo. Se as ameaças que virão de uma determinada rede social excederem os benefícios dessa rede social, medidas mais radicais serão aplicadas a ela. Hoje, acreditamos que já existem multas suficientes", acrescentou Lipov em conversa com repórteres, após ser questionado sobre a possibilidade da agência de desacelerar o tráfego dos serviços do Google.
© AP Photo / Mark LennihanHomem usando um telefone celular passando pelos escritórios do Google em Nova York, 17 de dezembro de 2018
Governo russo diz que pode reduzir tráfego do Google caso 'ameaças superem benefícios' - Sputnik Brasil, 1920, 27.05.2021
Homem usando um telefone celular passando pelos escritórios do Google em Nova York, 17 de dezembro de 2018

Anteriormente, o Roskomnadzor ameaçou diminuir o tráfego para os serviços do Google na Rússia devido à remoção insuficiente de materiais com informações proibidas. A agência enviou mais de 26.000 notificações à administração do Google sobre a necessidade de exclusão desses dados. De acordo com o Roskomnadzor, cerca de 5.000 materiais proibidos não foram removidos do site YouTube, dos quais 3.500 são com apelos ao extremismo.

Na terça-feira (25), um tribunal russo multou o Google em US$ 82 mil (cerca de R$ 430 mil) devido à não exclusão de conteúdo ilegal, segundo informou à Sputnik a assessoria de imprensa do tribunal.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала