Câmara dos Representantes dos EUA aprova comissão para investigar ataque ao Capitólio

© REUTERS / Joshua RobertsPresidente da Câmara dos EUA, a democrata Nancy Pelosi, fala durante coletiva de imprensa no Capitólio em Washington, EUA, em 19 de maio de 2021.
Presidente da Câmara dos EUA, a democrata Nancy Pelosi, fala durante coletiva de imprensa no Capitólio em Washington, EUA, em 19 de maio de 2021.  - Sputnik Brasil, 1920, 20.05.2021
Nos siga noTelegram
Em 6 de janeiro, apoiadores de Trump, entre eles muitos adeptos do QAnon, invadiram o Congresso dos EUA para protestar contra a certificação dos votos no democrata Joe Biden no Colégio Eleitoral.

A Câmara dos Representantes dos EUA votou na quarta-feira (19) a favor da criação de uma comissão independente para investigar o ataque ao Capitólio dos EUA, em 6 de janeiro, que deixou cinco mortos, incluindo um policial.

A comissão aprovada na Câmara teve 252 votos a favor e 175 contra e agora vai para o Senado, onde seu futuro é incerto, uma vez que no Senado há o mesmo número de democratas e republicanos. O Senado é controlado pelos democratas apenas porque a vice-presidente Kamala Harris pode dar votos de desempate. São necessários pelo menos 60 votos para que um projeto tenha luz verde.

O líder republicano do Senado, Mitch McConnell, afirmou na quarta-feira (19) que não vai apoiar o projeto da Câmara, chamando-o de "proposta tendenciosa e desequilibrada dos democratas da Câmara", acrescentando que as investigações existentes no Congresso são suficientes.

© REUTERS / Evelyn HocksteinMitch McConnell, líder da minoria republicana do Senado dos EUA, dirige-se ao Senado em Washington, EUA, 19 de abril de 2021
Câmara dos Representantes dos EUA aprova comissão para investigar ataque ao Capitólio - Sputnik Brasil, 1920, 20.05.2021
Mitch McConnell, líder da minoria republicana do Senado dos EUA, dirige-se ao Senado em Washington, EUA, 19 de abril de 2021

"Não haverá falta de investigações robustas", concluiu McConnell, que em janeiro disse que a multidão que atacou o Capitólio foi "alimentada com mentiras" e "provocada" pelo ex-presidente Donald Trump, reporta a agência Reuters.

Invasão do Congresso dos EUA

Em 6 de janeiro, apoiadores de Trump, entre eles muitos adeptos do QAnon, um movimento e uma teoria da conspiração que alegava que Trump lutava contra um grupo liberal global de pedófilos satanistas, invadiram o Congresso dos EUA para protestar contra a certificação dos votos no democrata Joe Biden, que venceu o pleito de 3 de novembro de 2020, no Colégio Eleitoral.

© AP Photo / Manuel Balce CenetaMembro de teoria de conspiração favorável a Trump discute com agente de Segurança do país durante invasão do Capitólio, Washington, 6 de janeiro de 2021
Câmara dos Representantes dos EUA aprova comissão para investigar ataque ao Capitólio - Sputnik Brasil, 1920, 20.05.2021
Membro de teoria de conspiração favorável a Trump discute com agente de Segurança do país durante invasão do Capitólio, Washington, 6 de janeiro de 2021

Trump pediu na terça-feira (18) que os republicanos votassem contra a proposta, chamando-a de "armadilha" inspirada pela "esquerda radical".

Repercutindo a aprovação do projeto na Câmara, o líder da maioria no Senado, Chuck Schumer, afirmou que agendará um debate sobre a legislação. Schumer acusou os líderes republicanos de "ceder a Donald Trump e provar que o Partido Republicano ainda está bêbado da Grande Mentira" de que a eleição presidencial dos EUA de 2020 foi roubada de Trump por meio de fraude eleitoral em massa.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала