Em telefonema, Biden diz a Netanyahu que espera redução significativa nas tensões com Palestina

© REUTERS / Majid Asgaripour/WANAIranianos queimam bandeiras dos EUA durante protesto para expressar solidariedade ao povo palestino, em Teerã, Irã, em 18 de maio de 2021
Iranianos queimam bandeiras dos EUA durante protesto para expressar solidariedade ao povo palestino, em Teerã, Irã, em 18 de maio de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 19.05.2021
Nos siga noTelegram
O presidente dos EUA, Joe Biden, afirmou durante telefonema ao primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, que espera uma "desaceleração significativa" dos conflitos com a Palestina.

Os dois líderes tiveram uma discussão detalhada sobre o estado dos eventos em Gaza nesta quarta-feira (19), que marca o nono dia de ataques aéreos israelenses e de foguetes do Hamas, em um conflito que já matou mais de 220 pessoas, a maioria delas palestinas.

"O presidente [dos EUA] comunicou ao primeiro-ministro [Netanyahu] que esperava uma desaceleração significativa hoje [19 de maio] no caminho para um cessar-fogo", lê-se no comunicado da Casa Branca.

Na segunda-feira (17), Biden e Netanyahu também conversaram por telefone sobre o conflito. Na ocisão, o presidente dos EUA expressou seu apoio a um cessar-fogo entre Israel e o Hamas, em Gaza.

© REUTERS / Ashraf Abu AmrahHomem coloca a mão na cabeça após fábrica ser bombardeada por forças israelenses, no norte da Faixa de Gaza, 17 de maio de 2021
Em telefonema, Biden diz a Netanyahu que espera redução significativa nas tensões com Palestina - Sputnik Brasil, 1920, 19.05.2021
Homem coloca a mão na cabeça após fábrica ser bombardeada por forças israelenses, no norte da Faixa de Gaza, 17 de maio de 2021

Conflito sangrento

Na noite de 8 de maio começaram grandes confrontos entre os palestinos e polícia israelense em Jerusalém Oriental. A situação se agravou na noite de 11 de maio. Mais de 3,7 mil foguetes foram disparados de Gaza contra o território israelense. Israel, por sua vez, também realizou centenas de ataques contra esse território palestino. 

Cerca de 218 palestinos, incluindo 63 crianças, faleceram em Gaza e 1.500 pessoas ficaram feridas desde o início dos bombardeios. Em Israel, 12 pessoas faleceram, incluindo duas crianças, e cerca de 300 ficaram feridas.

Até o momento, o Conselho de Segurança da ONU não adotou nenhuma declaração sobre o conflito devido ao veto dos EUA aos documentos. Uma fonte diplomática do Conselho de Segurança da ONU afirmou que a França, juntamente com Tunísia, Egito e Jordânia, estaria preparando um projeto que apela a um cessar-fogo entre Israel e Hamas, bem como à organização de um corredor humanitário na zona de conflito.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала