- Sputnik Brasil, 1920
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

CPI: Pazuello diz que Brasil optou por mínimo de doses com COVAX porque contrato tinha 'risco'

© Folhapress / Frederico Brasil/Futura PressO ex-Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, depõe na CPI da Covid no Senado Federal em Brasília (DF), nesta quarta-feira (19)
O ex-Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, depõe na CPI da Covid no Senado Federal em Brasília (DF), nesta quarta-feira (19) - Sputnik Brasil, 1920, 19.05.2021
Nos siga noTelegram
O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello disse nesta quarta-feira (19) à CPI da Covid que o contrato com o programa COVAX, coordenado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), apresentava "risco".

A iniciativa busca promover a produção e distribuição de vacinas contra a COVID-19 para países pobres e em desenvolvimento. O governo brasileiro optou pela cota mínima de doses - para vacinar 10% da população, embora pudesse ter escolhido acordo para entrega capaz de imunizar 50% da população.

A vacinação começou em ritmo lento no país e ainda não atingiu a velocidade recomendada por especialistas, que elogiam o programa nacional de imunização, mas apontam a falta de insumos. 

Ao justificar a opção, Pazuello disse que não havia um cronograma de entrega por parte do consórcio COVAX Facility. O Ministério da Saúde assinou acordo para envio de 42 milhões de doses. 

"Naquela forma, era o máximo que poderíamos fazer com o risco que estava imposto ali dentro", disse o ex-ministro. "Optei pelos 10% pela simples razão de que não havia firmeza, estabilidade nos processos para apostarmos tantos recursos", argumentou Pazuello.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала