Rússia fará tudo para que Israel e Palestina comecem negociações diretas, diz chanceler russo

© REUTERS / Amir CohenFoguetes lançados da Faixa de Gaza são interceptados pela Cúpula de Ferro em Ashkelon
Foguetes lançados da Faixa de Gaza são interceptados pela Cúpula de Ferro em Ashkelon - Sputnik Brasil, 1920, 17.05.2021
Nos siga noTelegram
A Rússia está pronta para organizar as negociações diretas entre Israel e Palestina, afirmou o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, durante coletiva de imprensa após reunião com seu homólogo de Serra Leoa, David John Francis, nesta segunda-feira (17).

Moscou está pronta para contribuir com a organização de negociações diretas entre Israel e Palestina, segundo o chanceler russo.

"Agora tudo depende da capacidade de negociar dos lados e da boa vontade deles. Faremos tudo para ajudá-los a chegar a acordos de mitigação da atual fase muito quente e perigosa do conflito, e para que as negociações diretas comecem o quanto antes", afirmou o chefe do MRE russo.

Lavrov afirmou que é preciso parar a violência de ambos os lados para começar negociações diretas. O chanceler destacou que apenas através de negociações é possível combinar a criação do Estado palestino que conviverá com Israel e outros países da região em paz e segurança.

O chefe do MRE russo relembrou que, já há alguns anos, inclusive por solicitação de Israel, a Rússia tem se mostrado pronta para organizar as negociações direitas entre as autoridades israelenses e palestinas em seu território.

Moscou condena os ataques aéreos contra instalações civis na Palestina e Israel, afirmou o ministro das Relações Exteriores da Rússia.

"Condenamos os ataques que são lançados a partir da Faixa de Gaza contra áreas residenciais. Além disso, claro que os ataques contra instalações civis no território palestino são totalmente inaceitáveis. Considero que já houve suficientes apelos para que seja posto imediatamente fim a esta situação", disse Lavrov.

A situação na fronteira entre Israel e a Faixa de Gaza se agravou na noite de 11 de maio. Desde o começo da escalada até o dia de hoje, segunda-feira (17), foram disparados mais de 3.000 foguetes de Gaza contra o território israelense, dos quais 1.210 foram interceptados. Israel, por sua vez, também realizou centenas de ataques contra o território palestino.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала