Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Argentina adia eleições por 5 semanas por causa da pandemia

© REUTERS / AGUSTIN MARCARIANUm manifestante segura uma bandeira argentina em protesto contra as medidas de bloqueio do presidente da Argentina, Alberto Fernandez, em Buenos Aires, em 17 de abril de 2021
Um manifestante segura uma bandeira argentina em protesto contra as medidas de bloqueio do presidente da Argentina, Alberto Fernandez, em Buenos Aires, em 17 de abril de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 08.05.2021
Nos siga no
O governo da Argentina e a oposição concordaram em adiar as eleições primárias dos partidos e as eleições legislativas de meio de mandato por cinco semanas devido à pandemia de COVID-19.

A informação foi confirmada pelo Ministério do Interior do país em um comunicado de imprensa.

"O Ministro do Interior, Wado de Pedro, e o presidente da Câmara dos Deputados, Sergio Massa, se reuniram hoje a pedido do presidente Alberto Fernández com os diferentes chefes de blocos, com os quais concordaram em adiar as eleições primárias para 12 de setembro e geral para 14 de novembro, tendo em conta o contexto atual da pandemia", comunicou o ministério.

A reunião foi realizada virtualmente em um momento em que a Argentina vive um novo pico de casos e mortes por doenças respiratórias.

© REUTERS / Agustin MarcarianEm Buenos Aires, capital da Argentina, profissionais de saúde higienizam mãos de pessoas em fila para teste de detecção da COVID-19, em 13 de abril de 2021
Argentina adia eleições por 5 semanas por causa da pandemia - Sputnik Brasil, 1920, 08.05.2021
Em Buenos Aires, capital da Argentina, profissionais de saúde higienizam mãos de pessoas em fila para teste de detecção da COVID-19, em 13 de abril de 2021

De Pedro disse que ter conseguido o adiamento "é poder ganhar um mês em cada um dos órgãos eleitorais para que mais argentinos possam ser vacinados. A cada dia que ganhamos para vacinar mais vidas são salvas", segundo o comunicado.

Até esta sexta-feira (7), a Argentina tinha 3.118.134 casos desde que a pandemia foi declarada em março de 2020 e 66.872 mortes, enquanto vacinou 8.951.821 pessoas.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала