Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

EUA farão 'tudo o que puderem' para evitar que Irã consiga armas nucleares se discussões falharem

© REUTERS / Joshua RobertsThe State Department Building is pictured in Washington, U.S., January 26, 2017.
The State Department Building is pictured in Washington, U.S., January 26, 2017. - Sputnik Brasil, 1920, 07.05.2021
Nos siga no
O Departamento de Estado dos EUA disse que depende do Irã aceitar ou não as concessões oferecidas por Washington, que incluem remover apenas as sanções impostas pelo ex-presidente Donald Trump.

Os EUA estão prontos para "fazer tudo o que puderem" a fim de evitar que o Irã consiga armas nucleares se as conversações de Viena, Áustria, sobre o acordo nuclear, falharem, declarou o Departamento de Estado norte-americano.

"Estamos preparados para esse cenário também, mas o cenário que preferimos, que é do nosso interesse e que é do interesse do Irã, é voltar ao cumprimento mútuo, e é isso que estamos [...] tentando alcançar", disse um funcionário sênior do Departamento de Estado a repórteres em uma coletiva telefônica na quinta-feira (6).

De acordo com o funcionário, depende da decisão política do Irã aceitar ou não as concessões que os EUA estão dispostos a fazer, e a voltar a cumprir o acordo.

Os Estados Unidos, no entanto, planejam apenas aliviar as sanções anti-iranianas da era do ex-presidente Donald Trump, que acreditam estar violando o Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, na sigla em inglês), com a administração Biden dizendo que usará um retorno ao cumprimento do acordo nuclear para negociar um acordo "mais longo e mais forte", e que aborde a outra atividade "agressiva" do Irã.

Provisões do acordo nuclear

Em 2015, o Irã assinou o JCPOA com o grupo de países P5+1, o que o obrigou a reduzir seu programa nuclear e a diminuir suas reservas de urânio em troca de alívio de sanções.

Donald Trump retirou unilateralmente os Estados Unidos do acordo nuclear em 2018, reinstituindo sanções ao Irã, para desapontamento dos outros signatários, como parte de sua campanha de "pressão máxima" contra a República Islâmica.

Como resposta à violação do JCPOA, Teerã tomou várias medidas contra a desnuclearização, argumentando que desde que os EUA abandonaram o acordo primeiro, os norte-americanos deveriam dar o primeiro passo e acabar removendo as sanções.

As conversações em Viena sobre o possível retorno de Teerã e Washington ao acordo nuclear estão em andamento, com o início de uma quarta rodada de conversações planejado para esta sexta-feira (7). No final de abril, o Irã elogiou o progresso em Viena, dizendo que as negociações estavam "no caminho certo" e se comprometendo a voltar aos compromissos nucleares que Teerã havia abandonado após a retirada de Trump, assim que as sanções dos EUA contra o país forem suspensas.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала