Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Daesh teria testado armas biológicas em prisioneiros no Iraque, segundo relatório

© AP Photo / Felipe DanaCivis iraquianos deixam a cidade de Mossul, no Iraque, destruída por confrontos entre o Daesh
Civis iraquianos deixam a cidade de Mossul, no Iraque, destruída por confrontos entre o Daesh  - Sputnik Brasil, 1920, 06.05.2021
Nos siga no
O grupo especial da ONU para investigação dos crimes do Daesh estabeleceu que os seus militantes testaram armas biológicas em prisioneiros no Iraque, informou o canal de televisão Al-Arabiya.

De acordo com o relatório do grupo de investigação, em posse do canal, os crimes dos militantes do Daesh (organização terrorista proibida na Rússia e em diversos outros países) contra os yazidis (comunidade étnico-religiosa curda que vive no norte do Iraque e em outras áreas limítrofes) equivalem a crimes militares e genocídio.

Além disso, o relatório afirma que o Daesh utilizou armas químicas contra cidadãos civis em 2014-2016.

A Resolução 2379 de criação de um grupo especial para investigação de crimes cometidos pelo Daesh foi aprovada pelo Conselho de Segurança da ONU em 21 de setembro de 2017, a fim de responsabilizar os terroristas "por crimes cometidos no Iraque, através de recolha e preservação de provas que possam corresponder a crimes militares, crimes contra a humanidade ou a genocídio."

Adicionalmente, o grupo tem a tarefa de promover a responsabilização de culpados em todo o mundo por atrocidades cometidas pela organização terrorista.

No fim de 2017, Bagdá declarou vitória sobre o Daesh. No entanto, o Exército iraquiano, com ajuda de uma coalizão internacional e unidades de milícia, continua realizando operações de combate e de identificação de "células adormecidas" da organização em certas regiões.

Em novembro de 2020, o ministro das Relações Exteriores do Iraque, Fuad Hussein, confirmou que, nos últimos meses, o Daesh intensificou sua atividade no país, incluindo em determinadas áreas da província ocidental de Anbar, nas províncias de Kirkuk e Diyala e em algumas áreas da província de Nínive, no norte.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала