- Sputnik Brasil, 1920
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Manhã com Sputnik Brasil: destaques desta quarta-feira, 5 de março de 2021

© REUTERS / Debbie HillPrimeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, discursa em Jerusalém, 13 de abril de 2021
Primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, discursa em Jerusalém, 13 de abril de 2021  - Sputnik Brasil, 1920, 05.05.2021
Nos siga noTelegram
Bom dia! A Sputnik Brasil acompanha as principais notícias desta quarta-feira (5), marcada pela possível revogação da Lei de Segurança Nacional, pelo depoimento de Mandetta na CPI da Covid e por ataques israelenses na Síria.

CPI da Covid: Mandetta sugere 'assessoramento paralelo' a Bolsonaro

Nesta terça-feira (4), o ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, declarou em depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da COVID no Senado Federal que o presidente Jair Bolsonaro tinha "assessoramento paralelo" ao do Ministério da Saúde para o trato de assuntos como a prescrição de remédios de eficácia não comprovada para a COVID-19.  O ex-ministro relata ter comparecido a uma reunião no Palácio do Planalto "com vários ministros e médicos que iam propor esse negócio de cloroquina, que eu nunca tinha conhecido. Quer dizer, ele [Jair Bolsonaro] tinha esse assessoramento paralelo", revelou Mandetta. Na reunião, houve a sugestão de que "se mudasse a bula da cloroquina na Anvisa, colocando [...] a indicação [...] para coronavírus", disse o ex-ministro. Hoje (5) a CPI deve ouvir o depoimento do sucessor de Mandetta na pasta, o ex-ministro da Saúde Nelson Teich. O Brasil confirmou mais 3.025 mortes e 69.378 casos de COVID-19, totalizando 411.854 óbitos e 14.860.812 diagnósticos da doença, segundo o consórcio entre secretarias estaduais de saúde e veículos de imprensa.

© REUTERS / Adriano MachadoLuiz Henrique Mandetta, ex-ministro da Saúde (ao centro), acompanhado do senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP, à esquerda) e do senador Renan Calheiros (MDB-AL, à direita), durante conferência de imprensa no Senado Federal, Brasília, 4 de maio de 2021
Manhã com Sputnik Brasil: destaques desta quarta-feira, 5 de março de 2021  - Sputnik Brasil, 1920, 05.05.2021
Luiz Henrique Mandetta, ex-ministro da Saúde (ao centro), acompanhado do senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP, à esquerda) e do senador Renan Calheiros (MDB-AL, à direita), durante conferência de imprensa no Senado Federal, Brasília, 4 de maio de 2021

Câmara aprova projeto que revoga Lei de Segurança Nacional

Nesta terça-feira (4), a Câmara dos Deputados aprovou o projeto que revoga a Lei de Segurança Nacional e tipifica crimes contra a democracia no Código Penal brasileiro. Aprovada durante a ditadura militar, a Lei de Segurança Nacional foi usada diversas vezes nos últimos meses contra críticos do presidente Jair Bolsonaro, como o youtuber Felipe Neto, e para embasar a prisão do deputado Daniel Silveira (PSL-RJ). O projeto aprovado pela Câmara prevê prisão para crimes como atentado à soberania, à integridade nacional, espionagem e golpe de Estado. Por outro lado, o projeto confirma a legalidade de manifestações críticas aos poderes constitucionais, da atividade jornalística e da reivindicação de direitos através de manifestações políticas. O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), considerou a revisão da lei "importante para a defesa das instituições". O texto segue para apreciação do Senado.

© Folhapress / Pedro LadeiraPresidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), durante pronunciamento à imprensa no Palácio do Planalto, Brasília, 31 de março de 2021 (foto de arquivo)
Manhã com Sputnik Brasil: destaques desta quarta-feira, 5 de março de 2021  - Sputnik Brasil, 1920, 05.05.2021
Presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), durante pronunciamento à imprensa no Palácio do Planalto, Brasília, 31 de março de 2021 (foto de arquivo)

Biden confirma 'esperança e expectativa' de realizar encontro com Putin

Nesta terça-feira (4), o presidente dos EUA, Joe Biden, confirmou sua intenção de se reunir com seu homólogo russo, Vladimir Putin. "É a minha esperança e expectativa. Estamos trabalhando para isso", confirmou Biden a repórteres. A reunião deve ocorrer durante a visita do líder norte-americano ao continente europeu em junho. Em entrevista ao jornal Financial Times, o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, declarou que Biden considera essencial a realização de reunião presencial com Putin, a fim de estabelecer um diálogo "franco" e "claro" com o líder russo.  A previsão, ainda não confirmada pelas partes, é que os líderes se reúnam entre os dias 15 e 16 de junho em um país europeu. Áustria, Finlândia e Suíça já se candidataram para sediar o encontro entre os presidentes dos EUA e Rússia.

© REUTERS / Jonathan ErnstPresidente dos EUA, Joe Biden, durante conferência de imprensa na Casa Branca, Washington, EUA, 4 de maio de 2021
Manhã com Sputnik Brasil: destaques desta quarta-feira, 5 de março de 2021  - Sputnik Brasil, 1920, 05.05.2021
Presidente dos EUA, Joe Biden, durante conferência de imprensa na Casa Branca, Washington, EUA, 4 de maio de 2021

Ataque israelense à província síria de Latakia deixa vítimas civis, informa mídia local

Nesta quarta-feira (5), um civil faleceu e seis ficaram feridos em decorrência de bombardeio israelense da província síria de Latakia, informou o governador da província à agência de notícias local SANA. A defesa síria foi capaz de interceptar diversos mísseis israelenses, mas os danos materiais e humanos foram inevitáveis. De acordo com fonte ouvida pela agência, dentre as vítimas estariam mulheres e crianças. Desde o início do conflito sírio em 2011, Israel bombardeia frequentemente o país, mas os ataques são raramente confirmados pelas suas Forças Armadas. Além da ação israelense, o grupo Frente al-Nusra (organização terrorista proibida na Rússia e demais países) realizou 11 ataques à província de Latakia, além de 15 ataques em Idlib e 1 em Aleppo nas últimas 24 horas, informou o Centro Russo de Reconciliação para a Síria.

© REUTERS / SANACriança recebe atendimento médico após ser ferida por ataque aéreo na província de Latakia, Síria, 5 de maio de 2021
Manhã com Sputnik Brasil: destaques desta quarta-feira, 5 de março de 2021  - Sputnik Brasil, 1920, 05.05.2021
Criança recebe atendimento médico após ser ferida por ataque aéreo na província de Latakia, Síria, 5 de maio de 2021

Pandemia acelera e Índia bate recorde de número de mortes em 24 horas

Nesta quarta-feira (5), a Índia bateu o recorde de número de mortos por COVID-19 em 24 horas ao confirmar 3.780 óbitos. O país registrou mais de 382 mil novos casos da doença, um dia após ultrapassar a lamentável marca de 20 milhões de diagnósticos de COVID-19.  A alta taxa de transmissão da nova variante indiana levou os hospitais do país ao colapso, com falta generalizada de oxigênio e leitos para pacientes infectados, reportou a Reuters. O governo indiano declarou que há oxigênio hospitalar no país, mas que problemas de logística e transporte dificultaram a sua distribuição. A oferta de vacinas contra a doença tampouco é capaz de atender à demanda nacional. Estados e regiões adotam medidas de distanciamento social, mas a oposição indiana insiste que o governo de Nova Deli decrete lockdown nacional para conter o vírus.  

© REUTERS / Danish Siddiqui Médico residente corre para atender paciente em hospital de Nova Deli, Índia, 1 de maio de 2021
Manhã com Sputnik Brasil: destaques desta quarta-feira, 5 de março de 2021  - Sputnik Brasil, 1920, 05.05.2021
Médico residente corre para atender paciente em hospital de Nova Deli, Índia, 1 de maio de 2021

Netanyahu ultrapassa prazo para formação de governo em Israel

Nesta quarta-feira (5), expirou o prazo para que o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, formasse uma coalisão para governar o país. Dessa forma, o presidente israelense, Reuven Rivlin, deve convocar Yair Lapid, líder do partido de oposição Yesh Atid, para iniciar negociações sobre a formação de um novo governo. Desde 2019, quatro eleições inconclusivas colocaram em dúvida a permanência de Netanyahu no cargo de primeiro-ministro de Israel. Os partidos israelenses têm se mostrado relutantes em selar uma aliança com Netanyahu, acusado de corrupção pela justiça israelense. Caso nenhuma coalisão partidária consiga formar governo no Knesset, o Parlamento do país, novas eleições gerais poderão ser convocadas.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала