Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

UE convoca enviado da Rússia para debater sobre inserção de seus funcionários em lista negra

© REUTERS / Mídia AssociadaPresidente do Parlamento Europeu, David Sassoli, dá entrevista coletiva após seu encontro com o chefe da Força-Tarefa da UE para as Relações com o Reino Unido, em Bruxelas, Bélgica, em 8 de setembro de 2020.
Presidente do Parlamento Europeu, David Sassoli, dá entrevista coletiva após seu encontro com o chefe da Força-Tarefa da UE para as Relações com o Reino Unido, em Bruxelas, Bélgica, em 8 de setembro de 2020. - Sputnik Brasil, 1920, 03.05.2021
Nos siga no
Após decisão do governo russo de proibir a entrada de oito cidadãos de Estados-membros da União Europeia (UE) e de representantes oficiais do bloco na Rússia, UE convoca enviado russo para reunião em Bruxelas.

Nesta segunda-feira (3), a União Europeia convocou o enviado permanente da Rússia na UE, Vladimir Chizhov, depois que Moscou colocou na lista negra oito funcionários da UE em retaliação à decisão do bloco de impor sanções pela prisão do líder da oposição russo Aleksei Navalny, segundo a AP News.

O porta-voz da Comissão Europeia, Peter Stano, disse que Chizhov se reunirá em Bruxelas ainda hoje (3) com altos funcionários da UE que "transmitirão a ele nossa forte condenação e rejeição a esta decisão".

A lista russa anunciada na sexta-feira (30) inclui o presidente do Parlamento Europeu, David Sassoli, e Vera Jourova, vice-presidente da Comissão Europeia cujo mandato inclui questões de Estado de Direito.

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia acusou a UE de querer punir Moscou por sua "política externa e interna independente" e de tentar limitar seu desenvolvimento com "restrições ilegais".

© flickr.com / Agenda de Defesa e SegurançaVladimir Chizhov, enviado permanente da Rússia na UE (foto de arquivo)
UE convoca enviado da Rússia para debater sobre inserção de seus funcionários em lista negra - Sputnik Brasil, 1920, 03.05.2021
Vladimir Chizhov, enviado permanente da Rússia na UE (foto de arquivo)

Do outro lado, a UE, através do porta-voz Peter Stano, se defendeu alegando que as proibições de viagens impostas por Moscou são "obviamente muito motivadas politicamente e carecem de qualquer justificativa legal, são infundadas", e adicionando que "tudo isso mostra que a Rússia está determinada a continuar na via hostil de confronto", disse Stano citado pela mídia.

Em março, a UE impôs sanções a seis oficiais russos envolvidos na prisão de Navalny, que é oponente do presidente russo, Vladimir Putin.

Os ministros das Relações Exteriores da UE discutirão as tensões com a Rússia quando se reunirem no dia 10 de maio. Os chefes de Estado e do bloco também abordarão o assunto em uma cúpula em 25 de maio, de acordo com a AP News.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала