Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para
 - Sputnik Brasil, 1920
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Para médico, prazos de Queiroga para a vacinação no Brasil são possíveis

© REUTERS / Ricardo MoraesEnfermeira aplica dose da CoronaVac, vacina contra a COVID-19, em idoso em São Gonçalo, no Rio de Janeiro
Enfermeira aplica dose da CoronaVac, vacina contra a COVID-19, em idoso em São Gonçalo, no Rio de Janeiro - Sputnik Brasil, 1920, 22.04.2021
Nos siga no
O Ministério da Saúde pretende concluir a vacinação contra a COVID-19 em mais de 77 milhões de pessoas dos grupos prioritários até setembro. É possível atingir essa meta? O médico Gustavo Magalhães conversou com a Sputnik Brasil sobre o assunto.

O ministro Marcelo Queiroga informou na quarta-feira (21) que espera vacinar contra a COVID-19 mais de 77 milhões de pessoas dos grupos prioritários até setembro. O Ministério da Saúde afirma que todas as pessoas que se encaixam nos critérios de prioridade devem receber a primeira dose até a primeira quinzena de julho.

O prazo para concluir a vacinação é setembro, segundo a pasta, porque o intervalo entre as doses da vacina de Oxford e AstraZeneca é de até três meses. Para saber se é possível atingir esta meta, a Sputnik Brasil conversou com o médico Gustavo Magalhães, infectologista e professor da UERJ.

© REUTERS / Amanda PerobelliProfissional de saúde da polícia prepara uma dose da vacina da AstraZeneca contra a COVID-19 no primeiro dia de vacinação do governo estadual para policiais, São Paulo, Brasil, 5 de abril de 2021
Para médico, prazos de Queiroga para a vacinação no Brasil são possíveis - Sputnik Brasil, 1920, 22.04.2021
Profissional de saúde da polícia prepara uma dose da vacina da AstraZeneca contra a COVID-19 no primeiro dia de vacinação do governo estadual para policiais, São Paulo, Brasil, 5 de abril de 2021

O especialista explicou que acredita no prazo estabelecido [pelo ministro Marcelo Queiroga] para o mês de setembro envolvendo a vacinação dos grupos prioritários. "Faz sentido terminar o prazo do grupo prioritário em setembro", comentou.

Gustavo Magalhães ainda disse que o calendário de vacinação está em andamento constante, e disse que o prazo precisou ser estendido "porque o Brasil vacina muito devagar". Ele comparou o país com outros, como EUA, Reino Unido e Israel, cujas campanhas de vacinação estão em patamares avançados.

"Considero que esse prazo teve que ser estendido porque estamos em uma velocidade muito lenta comparado a outros países. O ritmo do Brasil é lento, e por isso que o prazo precisou ser estendido".
© Foto / Tomaz Silva/Agência BrasilServidor da Fiocruz segura vacina de Oxford/AstraZeneca antes de aplicação.
Para médico, prazos de Queiroga para a vacinação no Brasil são possíveis - Sputnik Brasil, 1920, 22.04.2021
Servidor da Fiocruz segura vacina de Oxford/AstraZeneca antes de aplicação.

'General Pazuello, um otimista'

A nova data para a conclusão da vacinação das pessoas dos grupos prioritários revela um erro na última previsão feita pelo ex-ministro Eduardo Pazuello. Em 15 de março, no dia em que a sua substituição foi anunciada, ele disse que era provável o fim da vacinação dos grupos prioritários ainda em maio.

Sobre este "erro", Queiroga culpa a conjuntura internacional e diz que houve demora na entrega de doses do consórcio COVAX Facility, liderado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Ele também citou a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em sua justificativa: "O Ministério da Saúde não vai colocar vacinas que não foram aprovadas pela Anvisa", disse Queiroga.

© REUTERS / Ueslei MarcelinoEm Brasília, o novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga (à frente), concede entrevista coletiva ao lado do general Eduardo Pazuello, em 16 de março de 2021
Para médico, prazos de Queiroga para a vacinação no Brasil são possíveis - Sputnik Brasil, 1920, 22.04.2021
Em Brasília, o novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga (à frente), concede entrevista coletiva ao lado do general Eduardo Pazuello, em 16 de março de 2021

Questionado sobre a falha na previsão de Eduardo Pazuello, Gustavo Magalhães entende que "o general Pazuello estava otimista". "Ele tinha boas intenções, mas a realidade foi vista com o tempo: nós não tínhamos vacina tão rápido. E o Brasil não conseguiu adquirir vacinas para isso", explicou.

Imunização completa

Gustavo Magalhães também falou sobre a possibilidade do Brasil conseguir vacinar 100% de sua população com mais de 16 anos.

Para ele, "não vacinaremos toda população até dezembro. Não acho que a gente consiga. Acho possível chegarmos a um índice de 60% da população vacinada no mês do Natal".
© Foto / Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência BrasilO novo ministro da Saúde de Jair Bolsonaro, Marcelo Queiroga, no dia 23 de março de 2021
Para médico, prazos de Queiroga para a vacinação no Brasil são possíveis - Sputnik Brasil, 1920, 22.04.2021
O novo ministro da Saúde de Jair Bolsonaro, Marcelo Queiroga, no dia 23 de março de 2021
Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала