'Mundo quer justiça, não hegemonia': Xi critica unilateralismo e 'dissociação' de países individuais

© REUTERS / Kevin YaoPresidente da China, Xi Jinping, discursa durante o Fórum Boao Ásia, em Hainan, China, 20 de abril de 2021
Presidente da China, Xi Jinping, discursa durante o Fórum Boao Ásia, em Hainan, China, 20 de abril de 2021  - Sputnik Brasil, 1920, 20.04.2021
Nos siga noTelegram
Nesta terça-feira (20), o presidente da China, Xi Jinping, afirmou que nenhuma nação deve determinar as regras globais ou interferir em assuntos de outros países, e apelou para a rejeição de estruturas de poder hegemônicas na governança global.

Discursando na Conferência Anual do Fórum Boao para a Ásia, na província chinesa de Hainan, o presidente, Xi Jinping, criticou os esforços de alguns países para "construção de barreiras" e "dissociação", atos que, segundo ele, prejudicam os outros e não beneficiam ninguém.

"Qualquer tentativa de construção de barreiras e dissociação violam as leis econômicas e as regras do mercado, o que prejudica os outros e é negativo para si mesmo", afirmou o presidente chinês, citado pelo South China Morning Post.

O presidente disse que nenhuma nação deve ditar as regras globais ou interferir em assuntos de outros países.

"O destino e o futuro do mundo devem ser decididos por todas as nações, e as regras estabelecidas apenas por um ou vários países não devem ser impostas a outros", segundo o presidente da China. "O mundo inteiro não deve ser guiado pelo unilateralismo de países individuais."

"O mundo quer justiça, não a hegemonia", disse Xi durante seu discurso on-line para mais de dois mil funcionários e executivos no fórum, citado pela Reuters.

O presidente chinês apelou para a rejeição de estruturas de poder hegemônicas na governança global.

"Um grande país deve parecer com um grande país, mostrando que está arcando com mais responsabilidade", afirmou Xi, sem nomear qualquer país.

Além disso, o presidente da China prometeu que Pequim trabalhará junto com outras nações para lidar com as mudanças climáticas, mas não mencionou se participará da Cúpula do Clima, organizada pelo presidente norte-americano, Joe Biden, na quinta-feira (22).

Xi Jinping defendeu a iniciativa Um Cinturão, Uma Rota da China que foi criticada, já que estenderia a influência geopolítica de Pequim. O presidente disse que a estratégia de investimento em infraestrutura está aberta para todas as nações, e não é uma "estrada privada para uma nação determinada".

Importantes líderes empresariais dos EUA participaram do fórum, inclusive Tim Cook da Apple, Elon Musk da Tesla, Stephen Schwarzman da Blackstone e Ray Dalio da Bridgewater. A Conferência Anual do Fórum Boao para a Ásia é o principal evento empresarial patrocinado pelo governo chinês, às vezes apelidado de versão chinesa do Fórum Econômico Mundial em Davos. No ano passado, o evento foi cancelado devido ao surto da COVID-19.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала