Embaixador norte-americano na Rússia voltará brevemente aos EUA nesta semana

© Sputnik / Yevgenia Novozhenina / Abrir o banco de imagensPrédio da Embaixada dos EUA em Moscou
Prédio da Embaixada dos EUA em Moscou - Sputnik Brasil, 1920, 20.04.2021
Nos siga noTelegram
O embaixador dos EUA na Rússia, John Sullivan, retornará aos Estados Unidos brevemente esta semana, informou um porta-voz do Departamento de Estado dos EUA nesta terça-feira (20).

"O embaixador Sullivan retornará aos Estados Unidos esta semana para visitar sua família e se encontrar com membros do novo governo com os quais ele não teve a chance de consultar desde que concordou em continuar servindo em seu posto por tempo indeterminado", disse o porta-voz ao portal Axios.

Anteriormente, havia sido divulgado na mídia que o diplomata havia descartado retornar aos EUA após a recomendação do assessor presidencial russo, Yuri Ushakov.

"Ele retornará a Moscou nas próximas semanas", disse o porta-voz do Departamento do Estado norte-americano.

Mais tarde nesta terça-feira (20), o próprio embaixador confirmou à Sputnik sua viagem e disse que voltará a Moscou ainda antes do encontro entre presidentes dos EUA e da Rússia que foi discutido na conversa telefônica entre os dois líderes em 13 de abril.

"Acredito que seja importante para mim falar diretamente com meus colegas na administração [do presidente Joe] Biden em Washington sobre o estado atual das relações bilaterais entre os Estados Unidos e a Rússia. Além disso, não vejo minha família há mais de um ano [...]. Voltarei a Moscou nas próximas semanas antes da reunião entre presidentes [Joe] Biden e [Vladimir] Putin", disse Sullivan.
© Sputnik / ТАSS/POOL / Abrir o banco de imagensEmbaixador dos EUA na Rússia, John Sullivan, durante entrega de um segundo lote de 150 ventiladores para combater a pandemia do coronavírus, em Moscou
Embaixador norte-americano na Rússia voltará brevemente aos EUA nesta semana  - Sputnik Brasil, 1920, 20.04.2021
Embaixador dos EUA na Rússia, John Sullivan, durante entrega de um segundo lote de 150 ventiladores para combater a pandemia do coronavírus, em Moscou

No início deste mês, Washington impôs sanções a 32 entidades russas, incluindo empresas de tecnologia e indivíduos por sua suposta interferência na eleição presidencial de 2020 nos Estados Unidos e o suposto hackeamento de redes da cadeia de suprimentos de software dos Estados Unidos.

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia condenou a nova rodada de sanções dos EUA, classificando-a como contrária aos interesses das duas nações. Em resposta às sanções norte-americanas, Moscou proibiu a entrada de oito cidadãos dos EUA.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала