Polícia tcheca inclui 2 russos acusados de envolvimento no caso Skripal em lista de procurados

© AP Photo / Polícia MetropolitanaFoto de Ruslan Boshirov e Aleksandr Petrov, acusados por Londres de terem envenenado os Skripal, na estação de trem de Salisbury
Foto de Ruslan Boshirov e Aleksandr Petrov, acusados por Londres de terem envenenado os Skripal, na estação de trem de Salisbury - Sputnik Brasil, 1920, 17.04.2021
Nos siga noTelegram
A polícia da República Tcheca incluiu em sua lista de procurados dois cidadãos russos apontados pelo Reino Unido como responsáveis pelo envenenamento de Sergei Skripal e sua filha, na cidade inglesa de Salisbury, em março de 2018.

Segundo a polícia tcheca, os cidadãos russos Aleksandr Petrov e Ruslan Boshirov foram incluídos na lista de procurados por causa da investigação sobre "as circunstâncias de um crime grave". As fotos dos dois cidadãos russos foram divulgadas no site da polícia e em seu perfil no Twitter.

O Centro Nacional contra o Crime Organizado [SKPV, na sigla em tcheco] está solicitando assistência na busca de duas pessoas em conexão com a investigação das circunstâncias de um crime grave.

Em um comunicado, a polícia tcheca esclarece que os dois russos estiveram no país em outubro de 2014: primeiro na capital Praga, e depois nas regiões de Morávia-Silésia e Zlín. Além disso, cada um dos dois teria usado pelo menos dois passaportes.

Um porta-voz da polícia tcheca disse à Sputnik que não pode confirmar a relação entre a inclusão de Petrov e Boshirov na lista de procurados e as explosões em um paiol de munições em Vrbetice em 2014, que resultou na morte de dois cidadãos tchecos.

O comunicado da polícia chega logo após o anúncio das autoridades tchecas sobre a expulsão de 18 diplomatas russos suspeitos de serem agentes dos serviços secretos da Rússia. Segundo o primeiro-ministro tcheco Andrej Babis, a decisão se baseia na suspeita de que agentes de inteligência da Rússia teriam estado envolvidos nas explosões em Vrbetice.

© AP PhotoPoliciais investigando o caso do ex-espião russo Sergei Skripal, em Salisbury (Inglaterra), 13 de março de 2018
Polícia tcheca inclui 2 russos acusados de envolvimento no caso Skripal em lista de procurados - Sputnik Brasil, 1920, 17.04.2021
Policiais investigando o caso do ex-espião russo Sergei Skripal, em Salisbury (Inglaterra), 13 de março de 2018
No dia 4 de março de 2018, Sergei Skripal - um ex-agente do serviço de inteligência da Rússia - e sua filha Yulia foram encontrados inconscientes em um banco próximo de um shopping center na cidade britânica de Salisbury. 

Na época, Londres afirmou que os dois tinham sido envenenados com um agente nervoso chamado A234 e acusaram Moscou de estar por trás do ataque, o que provocou um enorme escândalo internacional.

O governo do Reino Unido também afirmou que Petrov e Boshirov, aos quais acusou de trabalharem para a inteligência russa, são os principais suspeitos de terem cometido o ataque.

Moscou, por sua vez, rejeitou categoricamente as acusações de Londres e indicou que não havia qualquer prova que determinasse o envolvimento do governo russo. Além disso, afirmou que o governo britânico rejeitou todos os seus pedidos para cooperar na investigação e para que concedesse acesso aos cidadãos russos envenenados.

Já Petrov e Boshirov, em uma entrevista à emissora russa RT, negaram qualquer envolvimento no ataque. Ambos afirmaram que estiveram em Salisbury por motivos turísticos e que, na verdade, trabalhavam na indústria fitness.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала