Deputado venezuelano conta como Colômbia busca 'conflito bélico' com Venezuela

© Sputnik / Mikhail Alaeddin / Abrir o banco de imagensMilitar da Venezuela (imagem referencial)
Militar da Venezuela (imagem referencial) - Sputnik Brasil, 1920, 09.04.2021
Nos siga noTelegram
Jesus Farias, deputado do partido governante venezuelano, o Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV), diz que o governo colombiano está buscando gerar uma provocação que desencadeie um conflito armado.

Desde 21 de março, o estado venezuelano de Apure, na fronteira sul com a Colômbia, se encontra em uma situação de confronto entre a Força Armada Nacional Bolivariana (FANB) e grupos irregulares colombianos.

"Os grupos terroristas que entram da Colômbia logo buscam refúgio ali [em Apure], sabendo que não haverá uma perseguição tão violenta na nação [venezuelana], e é isso que a Colômbia está procurando: gerar uma provocação que possa ser traduzida em um conflito bélico", explica Farias à Sputnik.

De acordo com o último balanço oficial, entre os combatentes, cerca de oito militares venezuelanos e nove membros de grupos irregulares colombianos acabaram mortos. Comentando o embate, o deputado socialista destacou que Caracas não está buscando guerra com a Colômbia, mas apenas tentando libertar o território em questão dos conflitos originados pelo país vizinho.

© REUTERS / Luisa GonzalezSoldados venezuelanos patrulham o rio Arauca na fronteira entre a Colômbia e Venezuela, visto da cidade de Arauquita, Colômbia, 28 de março de 2021
Deputado venezuelano conta como Colômbia busca 'conflito bélico' com Venezuela - Sputnik Brasil, 1920, 09.04.2021
Soldados venezuelanos patrulham o rio Arauca na fronteira entre a Colômbia e Venezuela, visto da cidade de Arauquita, Colômbia, 28 de março de 2021
A violência gerada por estes conflitos tem provocado o deslocamento de famílias venezuelanas para a Colômbia. Na verdade, Bogotá já declarou estado de calamidade na cidade de Arauquita, do departamento oriental colombiano de Arauca, afirmando que mais de seis mil venezuelanos teriam chegado à zona colombiana em questão.

O governo venezuelano denunciou que os grupos irregulares colombianos colocaram minas na zona fronteiriça, que já atingiram dois veículos militares e um ônibus de trabalhadores eletricistas. Por essa razão, Caracas pediu à ONU para ajudar a desativar as minas instaladas em seu território.

Por outro lado, a Força Armada Nacional Bolivariana destacou que não permitirá que a Venezuela se converta em uma "uma base territorial para o terrorismo, para o narcotráfico, e muito menos para servir interesses estrangeiros", ou seja, que a Venezuela se torne cenário de guerra por procuração para benefício dos EUA, que há muito utilizam grupos irregulares armados para a terceirização de guerra em outras nações, segundo deputado socialista.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала