Após destróier dos EUA passar por Taiwan, China indaga chance de ter navio no golfo do México

© Foto / Markus Castaneda, especialista em Comunicação de Massa de 2ª ClasseUSS John S. McCain, destróier de mísseis guiados, em operações marítimas no estreito de Taiwan, 30 de dezembro de 2020
USS John S. McCain, destróier de mísseis guiados, em operações marítimas no estreito de Taiwan, 30 de dezembro de 2020 - Sputnik Brasil, 1920, 08.04.2021
Nos siga noTelegram
Nesta quinta-feira (8), Pequim acusou Washington de causar tensões em torno de Taiwan após navio de guerra norte-americano ter passado perto da ilha reivindicada pelos chineses.

O MRE chinês ainda perguntou retoricamente se a China navegaria no golfo do México como "demonstração de força".

Nos últimos meses, Taiwan tem reclamado de atividades militares repetitivas de Pequim, com a Força Aérea do Exército de Libertação Popular (ELP) chinesa executando incursões quase diárias na zona de identificação aérea de Taiwan.

Na segunda-feira (5), a China anunciou atividade de um grupo de porta-aviões perto da ilha, e na quarta-feira (7), um navio de guerra dos EUA navegou pelo estreito de Taiwan, que separa a ilha da China continental.

Durante briefing diário, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Zhao Lijian, afirmou que os navios norte-americanos, envolvidos em "provocações", "enviam um sinal seriamente errado às forças independentistas taiwanesas, ameaçando, assim, a paz e estabilidade no estreito de Taiwan".

"Um navio de guerra chinês iria ao golfo do México para fazer uma demonstração de força?", indagou.

Taiwan é o assunto territorial mais sensível para a China, bem como um grande ponto de discórdia entre Pequim e Washington. A Marinha dos EUA tem regularmente conduzido o que se chama de transições "rotineiras" no estreito de Taiwan.

Washington expressou preocupação com os esforços de intimidação chineses na região, incluindo em relação a Taiwan, reiterando que o compromisso dos EUA com Taiwan é "rocha sólida".

A China, por sua vez, acredita que os Estados Unidos estão em conluio com Taiwan para desafiar Pequim e dar apoio aos que querem que a ilha declare independência formal.

A presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen, já considera a ilha um país independente, chamado República da China, nome oficial de Taiwan.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала