Alemanha abre negociações com a Rússia para compra da Sputnik V

© Sputnik / Abid Magar / Abrir o banco de imagensProfissional de saúde se prepara para aplicar a vacina russa Sputnik V em Karachi, no Paquistão
Profissional de saúde se prepara para aplicar a vacina russa Sputnik V em Karachi, no Paquistão - Sputnik Brasil, 1920, 08.04.2021
Nos siga noTelegram
O Fundo Russo de Investimentos Diretos (RDIF, na sigla em russo) e representantes do governo alemão começaram a estudar a possibilidade de a Alemanha adquirir a vacina russa Sputnik V.

A conta oficial do imunizante no Twitter compartilhou a informação nesta quinta-feira (8).

Urgente: O Fundo Russo de Investimentos Diretos iniciou discussões com representantes do governo da Alemanha sobre a aquisição antecipada da vacina Sputnik V para a Alemanha.

Várias regiões alemãs já haviam anunciado o desejo de discutir a aquisição e a produção da Sputnik V. Os estados de Meclemburgo-Pomerânia Ocidental e Brandenburgo se mostraram dispostos a iniciar as negociações com Moscou. As autoridades da Renânia-Palatinado acreditam que o governo federal é quem deveria negociar com a Rússia, mas observaram que gostariam de ver a vacina certificada pelo regulador europeu de medicamentos.

O Ministério da Saúde da Baviera assinou um memorando de intenções com o RDIF mostrando que gostaria de adquirir 2,5 milhões de doses da Sputnik V para a região.

Nesta quarta-feira (8), a agência Reuters adiantou que a Alemanha deveria iniciar em breve negociações bilaterais com a Rússia para a aquisição da vacina.

© Sputnik / Mikhail Allaeddin / Abrir o banco de imagensEm Beirute, no Líbano, um o primeiro lote da vacina russa Sputnik V contra a COVID-19 é desembarcado no aeroporto internacional Rafik Hariri, em 23 de março de 2021
Alemanha abre negociações com a Rússia para compra da Sputnik V - Sputnik Brasil, 1920, 08.04.2021
Em Beirute, no Líbano, um o primeiro lote da vacina russa Sputnik V contra a COVID-19 é desembarcado no aeroporto internacional Rafik Hariri, em 23 de março de 2021

Desenvolvida pelo Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya e promovido pelo RDIF, a vacina russa Sputnik V tornou-se o primeiro imunizante contra a COVID-19 registrado no mundo, em agosto de 2020.

De acordo com a análise de ensaios clínicos de fase três, publicada no jornal britânico The Lancet, a vacina tem uma taxa de eficácia de 91,6% contra a COVID-19.

Diversos países europeus já autorizaram o uso da vacina russa, como Hungria, Eslováquia, San Marino, Sérvia, Montenegro e Macedônia do Norte.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала