Irã anuncia início de testes da centrífuga de última geração IR-9 para enriquecer urânio

© AP Photo / Vahid SalemiReator de pesquisa nuclear na sede da Organização de Energia Atômica iraniana em Teerã, Irã, 1º de setembro de 2014
Reator de pesquisa nuclear na sede da Organização de Energia Atômica iraniana em Teerã, Irã, 1º de setembro de 2014 - Sputnik Brasil, 1920, 06.04.2021
Nos siga noTelegram
Organização de Energia Atômica do Irã começou testes da centrífuga de última geração IR-9, dona de uma potência 50 vezes superior à da principal centrífuga IR-1, anunciou o porta-voz da organização, Behrouz Kamalvandi.
"Há progresso no enriquecimento de urânio. Nós começamos os testes mecânicos da centrífuga IR-9 com [capacidade de enriquecimento] de 50 UTS [Unidade de Trabalho de Separação]", contou o porta-voz à agência ISNA.

Nesta terça-feira (6), ocorrerá a reunião presencial sobre o Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, na sigla em inglês) em Viena, Áustria. Anteriormente, Washington se recusou a iniciar negociações com Irã até que Teerã deixasse de violar as condições do acordo nuclear sobre os limites de armazenamento de combustível nuclear e o nível de enriquecimento de urânio de 3,67%.

Em 2 de abril, a Comissão Conjunta do JCPOA realizou uma videoconferência entre diretores políticos, que discutiram o possível regresso dos Estados Unidos ao acordo nuclear.

Logo depois, o Departamento de Estado norte-americano revelou que Estados Unidos concordaram em participar das conversações sobre o acordo nuclear iraniano em Viena. Segundo o porta-voz do Departamento de Estado Edward Price, a delegação norte-americana para conversações em Viena será liderada pelo enviado norte-americano responsável pelos assuntos iranianos, Robert Malley.

© AFP 2022 / Alex HaladaReunião da Comissão Conjunta do Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, na sigla em inglês) com participação da China, França, Alemanha, Rússia, Reino unido e Irã em Viena, Áustria, 28 de julho de 2019
Irã anuncia início de testes da centrífuga de última geração IR-9 para enriquecer urânio - Sputnik Brasil, 1920, 06.04.2021
Reunião da Comissão Conjunta do Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, na sigla em inglês) com participação da China, França, Alemanha, Rússia, Reino unido e Irã em Viena, Áustria, 28 de julho de 2019

O acordo JCPOA foi celebrado em 2015 por Reino Unido, Alemanha, China, Rússia, EUA, França e Irã para o cancelamento das sanções contra a nação persa em troca da restrição do programa nuclear iraniano, mas não chegou a três anos de existência.

Em 2018, a administração norte-americana de Donald Trump anunciou sua saída unilateral do JCPOA, alegando violação do acordo nuclear por parte do Irã, apesar de inspeções internacionais confirmarem o cumprimento iraniano, e o retorno à política de "pressão máxima" contra o Irã.

No final de 2020, entrou em vigor a lei iraniana que lançou a produção de urânio enriquecido até 20%, bem como a utilização de centrífugas mais potentes e a rejeição das investigações da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), por causa das sanções impostas à nação persa.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала