Biden afirma 'apoio inabalável' à Ucrânia em 1ª conversa oficial com presidente Zelensky

© REUTERS / Erin ScottO presidente Joe Biden faz comentários sobre o relatório de empregos de março do Departamento do Trabalho na Casa Branca em Washington, D.C., EUA, 2 de abril de 2021
O presidente Joe Biden faz comentários sobre o relatório de empregos de março do Departamento do Trabalho na Casa Branca em Washington, D.C., EUA, 2 de abril de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 02.04.2021
Nos siga noTelegram
O presidente dos EUA, Joe Biden, e seu homólogo ucraniano, Vladimir Zelensky, realizaram nesta sexta-feira (2) sua primeira conversa por telefone desde que o líder norte-americano assumiu o cargo.

Durante a conversa, os líderes discutiram relatos de um suposto aumento da presença militar russa perto da fronteira com a Ucrânia e os esforços de Kiev para combater a corrupção.

A Casa Branca comunicou que o presidente dos EUA, Joe Biden, reafirmou o apoio à soberania e integridade territorial da Ucrânia em face da "contínua agressão russa".

"O presidente Biden reafirmou o apoio inabalável dos EUA à soberania e integridade territorial da Ucrânia em face da contínua agressão da Rússia em Donbass e na Crimeia", disse a Casa Branca.
© Sputnik / Aleksei NikolskyPresidente da Ucrânia, Vladimir Zelensky, durante a conferência de imprensa do Quarteto da Normandia, em 9 de dezembro de 2019
Biden afirma 'apoio inabalável' à Ucrânia em 1ª conversa oficial com presidente Zelensky - Sputnik Brasil, 1920, 02.04.2021
Presidente da Ucrânia, Vladimir Zelensky, durante a conferência de imprensa do Quarteto da Normandia, em 9 de dezembro de 2019

Foi destacado que o líder norte-americano confirmou a intenção de seu governo de intensificar a parceria estratégica dos dois países para apoiar "o plano do presidente Zelensky de combate à corrupção e implementação de um programa de reformas baseado em valores democráticos comuns que garantam justiça, segurança e prosperidade para o povo da Ucrânia".

"Os líderes concordaram que essas reformas são centrais no contexto das aspirações euro-atlânticas da Ucrânia", acrescentou Washington.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, por sua vez, disse que a Rússia, não sendo parte do conflito, não pode garantir um cessar-fogo abrangente na região de Donbass, mas usa sua influência para implementar acordos.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала