Futuro incerto faz Força Aérea dos EUA recorrer ao passado por superioridade aérea, diz analista

© Foto / US Air ForceCaças da Força Aérea dos EUA
Caças da Força Aérea dos EUA  - Sputnik Brasil, 1920, 09.03.2021
Nos siga noTelegram
O novo caça norte-americano de quinta geração, F-35, acabou sendo bem problemático e caro demais ao Pentágono, e, por isso, os Estados Unidos estão prontos para recorrer a aeronaves de gerações passadas.

O general Charles Q. Brown Jr., comandante do Estado-Maior da Força Aérea dos EUA, afirmou que os EUA precisam de um avião confiável para substituir os caças F-16. O analista militar Andrei Kots comenta os planos do Pentágono à Sputnik.

De volta ao passado

De acordo com o relatório do The Military Balance, a Força Aérea dos EUA conta atualmente com 443 caças F-16C e 114 F-16D. Além de outros 336 caças em operação na Guarda Nacional.

O caça F-16 decolou pela primeira vez em 1978, tendo 4.604 unidades construídas. Esta aeronave é a mais difundida do mundo, estando presente em 25 países.

A aeronave já recebeu diversas modernizações, uma delas em 2004, para o Pentágono não produzir nenhum novo caça em série. Teoricamente, a indústria norte-americana poderia rapidamente trabalhar na atual modificação do F-16, contudo a Força Aérea norte-americana tem dúvidas sobre esta necessidade.

"Não estou certo sobre a utilidade de uma modernização do F-16 [...]. Se nós tivermos condições de criar algo novo, barato e moderno, por que não fazer isso? Não é preciso necessariamente escolher um daqueles que já temos. Nós analisamos e descobrimos que a Força Aérea precisa de um novo caça moderno de geração 4+ ou cinco. Sobre o potencial de combate, ele deve estar entre os aviões construídos no final dos anos 1970 e os modernos equipamentos 'furtivos' F-35 e F-22", declarou o general Brown.

Frota 'fatigada'

Brown também afirmou que a principal característica da promissora aeronave deve ser a arquitetura digital aberta, permitindo a rápida atualização de software a bordo para diversas missões.

O caça também deve ser capaz de transportar todos os tipos de armas de destruição, adequados às características de peso e tamanho. Além disso, a aeronave deverá contar com novos aviônicos, motores aprimorados e maior capacidade furtiva.

© AP Photo / Giannis PapanikosF-16 (imagem referencial)
Futuro incerto faz Força Aérea dos EUA recorrer ao passado por superioridade aérea, diz analista - Sputnik Brasil, 1920, 09.03.2021
F-16 (imagem referencial)

Cada vez mais, o caça F-16 é cogitado nas Forças Armadas norte-americanas, contudo grande parte destas aeronaves não consegue ao menos decolar, devido à ultrapassada tecnologia.

Ao mesmo tempo, os EUA possuem um possível substituto, o F-16 Block 70/72, a última modernização do caça, que conta com radar de varredura eletrônica ativa e um sistema de guerra eletrônico com sistemas de interferência, sistema de designação de alvos no capacete e sistema de transmissão de dados.

Veteranos em combate

O caça F-16 não é o único veterano que pode ser "ressuscitado" pelos EUA. Anteriormente, o caça pesado F-15EX, totalmente modernizado, realizou seu voo inaugural.

No final de março, a Força Aérea dos EUA vai receber duas aeronaves deste tipo para realizar testes subsequentes. Ao todo, o Pentágono tem a intenção de encomendar aproximadamente 200 caças F-15EX até 2030.

A entrega dos caças de série à Força Aérea norte-americana está prevista para ser iniciada em 2023. O programa tem um custo estimado de US$ 23 bilhões (R$ 123,5 bilhões).

A modernização da aeronave é a continuação do desenvolvimento do caça-bombardeiro F-15E Strike Eagle. Ela é designada para conquistar superioridade aérea e realizar ataques contra alvos terrestres.

O avião é equipado com modernos equipamentos de bordo baseados no conceito de "comunicação digital" e arquitetura de Sistemas de Missão Aberta, permitindo a implantação de tecnologias avançadas sem qualquer dificuldade.

Além disso, a aeronave receberá um poderoso sistema de guerra eletrônica, melhorias na cabine dos pilotos e radar Raytheon AN/APG-82 com antena de varredura eletrônica ativa.

Os novos motores GE F110 asseguram altas características de voo com carga útil aumentada. Sabe-se que sua carga útil foi elevada de 10,4 toneladas para 13,4 toneladas.

Planeja-se que o F-15EX seja capaz de transportar até 22 mísseis guiados ar-ar ou mísseis hipersônicos de longo alcance de quase sete metros e três toneladas.

A Guarda Nacional dos EUA deverá receber as primeiras unidades do F-15EX.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала