Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Venezuela refuta acusações de violação de espaço aéreo da Guiana

© Sputnik / Maksim Blinov / Abrir o banco de imagensCaças Su-30SM
Caças Su-30SM - Sputnik Brasil, 1920, 05.03.2021
Nos siga no
Georgetown culpou na terça-feira (2) a Venezuela de ter supostamente violado a soberania da Guiana sobrevoando a área disputada, que tem grandes reservas de petróleo.

O governo da Venezuela descreveu como absurdas as acusações da Guiana sobre as operações das Força Armada Nacional Bolivariana (FANB) em seu espaço aéreo, considerando que procura fingir um ato de agressão.

"Mais uma vez, de forma louca, o governo da Guiana está tentando gerar versões falsas sobre as operações regulares de patrulhamento das fronteiras da Venezuela, realizadas pela Força Armada Nacional Bolivariana, estritamente limitadas ao território venezuelano não contestado, a fim de fingir um suposto 'ato de agressão' contra a Guiana irmã", segundo declaração emitida pelo Ministério das Relações Exteriores venezuelano na quinta-feira (4).

O governo de Nicolás Maduro disse que as acusações de Georgetown "procuram manipular a realidade para alimentar uma matriz negativa contra a Venezuela em relação à disputa territorial sobre a Guiana Essequiba".

"É desconcertante que, em um esforço para promover esta campanha difamatória e de vitimização repetida ante o palco internacional, seja emitida uma acusação infundada, baseada em vídeos postados em redes sociais, sem oferecer a localização precisa e georreferenciada da área em questão", diz o texto.

A Guiana acusou a Venezuela na terça-feira (2) de violar seu espaço aéreo, quando dois caças Sukhoi Su-30 teriam sobrevoado a comunidade de Eteringbang, uma área mineira perto da fronteira com Caracas.

Há mais de 100 anos, Venezuela e Guiana mantêm uma disputa sobre o território Essequibo, uma área com grandes reservas de petróleo.

Em 1966, ambas as nações assinaram um acordo para buscar uma solução pacífica para esta disputa, mas a Guiana introduziu em 2018 um processo perante o Tribunal Internacional de Justiça no qual pede ao tribunal que validasse legalmente a sentença arbitral de 1899 que lhe dá controle absoluto sobre o território.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала