Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para
 - Sputnik Brasil, 1920
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

MP do Rio encerra órgão que investigou suposta 'rachadinha' de Flávio Bolsonaro

© Folhapress / Nayra Halm /FotoarenaO senador Flávio Bolsonaro durante cerimônia de formatura dos novos soldados da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro.
O senador Flávio Bolsonaro durante cerimônia de formatura dos novos soldados da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro. - Sputnik Brasil, 1920, 04.03.2021
Nos siga no
O Diário Oficial do MPRJ desta quinta-feira (4) confirmou a extinção das atividades do Grupo de Atuação Especializada e Combate à Corrupção (Gaecc) e determinou a criação de novo núcleo no Gaeco.

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) determinou o fim do Grupo de Atuação Especializada e Combate à Corrupção (Gaecc), nesta quarta-feira (3), conforme noticiado pelo portal G1. Entre outros casos, o núcleo investigou a suspeita de "rachadinha" do senador Flávio Bolsonaro da época em que ele era deputado estadual na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj).

O MPRJ também definiu que os trabalhos do Gaecc serão repassados a um departamento a ser criado dentro do Grupo de Atuação Especializada e Combate ao Crime Organizado (Gaeco). A decisão, assinada pelo procurador-geral de Justiça, Luciano Oliveira Mattos de Souza, foi confirmada no Diário Oficial do MPRJ nesta quinta-feira (4).

A resolução aponta que o novo núcleo no Gaeco "atuará no combate às milícias, ao tráfico de drogas e à lavagem ou ocultação de bens" e ficará responsável por investigar crimes contra a administração pública, como os relacionados a licitações.

No final de 2020, de acordo com o G1, 21 dos 22 promotores do Gaecc já haviam sido exonerados, e as vagas não foram preenchidas.

© Folhapress / Barbara Dias / AgifGrafite em alusão ao suposto esquema de rachadinhas na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), envolvendo Flávio Bolsonaro e Fabrício Queiroz
MP do Rio encerra órgão que investigou suposta 'rachadinha' de Flávio Bolsonaro - Sputnik Brasil, 1920, 04.03.2021
Grafite em alusão ao suposto esquema de rachadinhas na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), envolvendo Flávio Bolsonaro e Fabrício Queiroz

Na investigação contra Flávio Bolsonaro, a estimativa é de desvio de R$ 6 milhões no suposto esquema, conhecido como "rachadinha", em que os funcionários devolvem parte dos salários ao parlamentar.

Em informação revelada nesta semana pelo site O Antagonista, o senador Flávio Bolsonaro comprou uma mansão no valor de R$ 5,97 milhões em Brasília, no dia 29 de janeiro deste ano.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала