Hackers chineses estariam 'mirando' em produtoras indianas de vacinas contra COVID-19

© REUTERS / Adnan AbidiA vacina Covaxin, desenvolvida pelo laboratório indiano Bharat Biotech.
A vacina Covaxin, desenvolvida pelo laboratório indiano Bharat Biotech. - Sputnik Brasil, 1920, 01.03.2021
Nos siga noTelegram
Um grupo de hackers chineses, alegadamente com suporte estatal, vem tentando se infiltrar nos sistemas de inteligência de duas fabricantes indianas de vacinas contra a COVID-19, segundo a empresa de cibersegurança Cyfirma.

Ambas China e Índia têm vendido ou oferecido suas vacinas a vários países, sendo a Índia produtora de mais de 60% das vacinas no mercado, informa a agência Reuters.

A Cyfirma, suportada pela Goldman Sachs, com bases em Singapura e em Tóquio, no Japão, contou que o grupo de hackers chinêscibersegurança APT10, também conhecido como Panda de Pedra, teria identificado falhas e vulnerabilidades na estrutura de inteligência e na rede de fornecimento da Bharat Biotech e do Instituto Serum da Índia (SII, na sigla em inglês), sendo a última, por sua vez, a maior fabricante de vacinas do mundo.

© REUTERS / Amit DavePolicial indiano recebendo dose da vacina COVISHIELD, fabricada pelo Instituto Serum da Índia
Hackers chineses estariam 'mirando' em produtoras indianas de vacinas contra COVID-19 - Sputnik Brasil, 1920, 01.03.2021
Policial indiano recebendo dose da vacina COVISHIELD, fabricada pelo Instituto Serum da Índia
"A motivação real aqui é de extrair propriedade intelectual e obter vantagem competitiva sobre as empresas farmacêuticas indianas", explicou o diretor-executivo da companhia de cibersegurança, Kumar Ritesh, que já foi um oficial de elite na agência de inteligência estrangeira britânica MI6, citado pela agência.

O ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, por sua vez, ainda não respondeu a pedidos de comentário sobre o assunto. De igual modo, o Instituto Serum e a Bharat Biotech também se recusaram a comentar o sucedido.

O gabinete do diretor-geral da Equipe de Resposta a Emergências Computacionais (CERT, na sigla em inglês) indiana confirmou que o caso foi entregue ao diretor de operações da equipe, S.S. Sarma, que, por sua vez, contou à Reuters que a CERT é uma "agência legal e não podemos confirmar este assunto com a mídia".

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала