EUA prometem usar 'todas as ferramentas' contra comércio 'desleal' da China

© AP Photo / Andrew HarnikBandeira da China ao lado da bandeira dos EUA no antigo edifício do Gabinete Executivo no complexo da Casa Branca em Washington
Bandeira da China ao lado da bandeira dos EUA no antigo edifício do Gabinete Executivo no complexo da Casa Branca em Washington - Sputnik Brasil, 1920, 01.03.2021
Nos siga noTelegram
O governo do presidente norte-americano Joe Biden, em relatório enviado ao Congresso nesta segunda-feira (1º), disse que usará todas as ferramentas disponíveis para combater um amplo espectro de práticas comerciais desleais cometidas pela China.

A declaração foi publicada em um relatório divulgado pela Representação de Comércio dos Estados Unidos que aponta a agenda política comercial norte-americana para este ano e faz um balanço sobre o ano anterior.

"O governo Biden está empenhado em usar todas as ferramentas disponíveis para enfrentar a variedade de práticas comerciais desleais da China que continuam a prejudicar os trabalhadores e empresas dos EUA", aponta o documento.

Essas ações de combate, ainda de acordo com o relatório, incluem barreiras tarifárias e não tarifárias que restrinjam o acesso ao mercado de produtos oriundos de trabalho forçado e subsídios às exportações, entre outros. Os EUA também acusam a China de transferências coercitivas de tecnologia, violação de propriedade intelectual, censura e tratamento injusto de empresas norte-americanas em diversos setores.

Ainda conforme o documento, o governo Biden fará dos direitos humanos dos uigures uma prioridade máxima e prometeu trabalhar em estreita colaboração com os aliados dos EUA para resolver tais questões.

© AP Photo / Carolyn KasterJoe Biden, vice-presidente dos EUA, e Xi Jinping, presidente da China, e sua esposa Peng Liyuan, durante a cerimônia de chegada à Base Aérea de Andrews, Maryland, EUA, 24 de setembro de 2015
EUA prometem usar 'todas as ferramentas' contra comércio 'desleal' da China - Sputnik Brasil, 1920, 01.03.2021
Joe Biden, vice-presidente dos EUA, e Xi Jinping, presidente da China, e sua esposa Peng Liyuan, durante a cerimônia de chegada à Base Aérea de Andrews, Maryland, EUA, 24 de setembro de 2015

A tensão entre os dois países tem crescido ao longo dos últimos anos, conforme a China amplia sua capacidade comercial e tecnológica. Ao longo do governo do ex-presidente Trump, a relação bilateral se deteriorou de forma significativa. Trump ergueu barreiras tarifárias contra a China e durante o período da pandemia da COVID-19 responsabilizou publicamente o governo chinês pela disseminação do vírus. O governo Biden tem sinalizado que manterá a pressão contra o país asiático.

As autoridades chinesas negaram em diversas ocasiões as alegações dos EUA de práticas comerciais injustas e abusos dos direitos humanos, além de contestarem veementemente as acusações vocalizadas pelo ex-presidente Trump relacionadas à COVID-19.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала