Tanque russo T-14 Armata ganha capacidade de selecionar alvos sem ajuda da tripulação

© Sputnik / Vladimir Astapkovich / Abrir o banco de imagensTanque russo de terceira geração T-14 Armata
Tanque russo de terceira geração T-14 Armata - Sputnik Brasil, 1920, 25.02.2021
Nos siga noTelegram
Pela primeira vez na história da indústria de tanques, o tanque russo T-14 Armata passou a selecionar alvos no campo de batalha sem a participação da tripulação, afirmou à Sputnik uma fonte do complexo militar-industrial.

As capacidades do T-14 foram testadas com êxito durante um treinamento militar. Vale ressaltar que a decisão de atingir o alvo escolhido ainda é da tripulação.

"O sistema de controle de fogo do Armata tem um catálogo digital com assinaturas dos alvos tradicionais do campo de batalha, incluindo tanques, sistemas de defesa, helicópteros, etc. Os elementos de inteligência artificial dos dispositivos computadorizados a bordo da máquina permitem procurar os alvos independentemente [...] reconhecê-los, ainda que só estejam visíveis parcialmente [...] e realizar a seleção de acordo com a prioridade", afirmou a fonte, ressaltando que nos equipamentos militares estrangeiros não há nada igual ao sistema de controle de fogo do Armata.

Foi realizado um exercício militar com o uso de modelos matemáticos e esquemas seminaturais de alvos, incluindo imagens de contraste fotográfico e simuladores térmicos.

"Foram igualmente realizados testes no polígono, onde veículos blindados russos funcionaram como alvos a serem encontrados pelo Armata. Baseado nos resultados dos exercícios, a eficiência do sistema está confirmada para cumprir com as especificações de combate declaradas", observou.

Para buscar e capturar os alvos, o T-14 usa uma mira combinada que opera em ambas as faixas de visão, incluindo infravermelha.

O mais recente tanque T-14 Armata começará a ser fornecido de forma estável às tropas até 2022, anunciou o desenvolvedor principal do veículo, Andrei Terlikov, chefe do Gabinete de Design de Engenharia de Transportes dos Urais (UKBTM, na sigla em russo), que integra o consórcio Uralvagonzavod.

A munição para o Armata, desenvolvida pela corporação estatal russa Rosatom, estará pronta até a entrega do lote piloto no fim de 2021, segundo o desenvolvedor.

O T-14 é o único tanque do mundo de terceira geração do pós-guerra. O tanque Armata foi concebido para combater em contato direto com o inimigo, para apoiar a ofensiva das unidades motorizadas de infantaria, e para destruir forças inimigas em abrigos e campo aberto.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала