- Sputnik Brasil, 1920
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Após contrato de 100 milhões, governo brasileiro quer comprar mais 30 milhões de doses da CoronaVac

© REUTERS / Amanda PerobelliFuncionários do Instituto Butantan trabalham na produção da vacina contra o coronavírus CoronaVac
Funcionários do Instituto Butantan trabalham na produção da vacina contra o coronavírus CoronaVac - Sputnik Brasil, 1920, 19.02.2021
Nos siga noTelegram
O Ministério da Saúde pediu na quinta-feira (18) ao Instituto Butantan a entrega de mais 30 milhões de doses da vacina CoronaVac. Lote se soma a pedidos anteriores da pasta que totalizam 100 milhões.

De acordo com o governo do estado de São Paulo, a previsão é entregar as primeiras 100 milhões de doses até setembro de 2021. O ofício do ministério é assinado pelo secretário-executivo da pasta, Elcio Franco. 

No documento, ele afirma, segundo o portal G1, que há "necessidade em expandir a aquisição de imunizantes" contra a COVID-19. Além disso, afirma que espera a "continuidade da vacinação em massa da população brasileira, junto com todos os estados e municípios".

O secretário-executivo também pediu um cronograma de entrega das doses para o período entre os meses de outubro e dezembro deste ano. O Butantan afirmou que está avaliando a demanda. 

Governo revê distribuição em fevereiro

Na quinta-feira (18), governo federal anunciou que precisaria rever a distribuição das vacinas relativas ao mês de fevereiro. A meta era distribuir 11,3 milhões de doses em fevereiro - 9,3 milhões da CoronaVac e dois milhões da vacina de Oxford/AstraZeneca, importadas da Índia. No entanto, o Butantan anunciou que só conseguiria fornecer 2,7 milhões de doses. 

Na ocasião, Helcio Franco afirmou, segundo o portal UOL, que "fica muito difícil planejar sem nós termos confirmação do que vamos receber, tudo previsto em contrato".

O Butantan, por sua vez, acusou o governo federal de omitir fatos de conhecimento público, argumentando que "desgaste diplomático causado pelo governo brasileiro em relação à China provocou atrasos no envio da matéria-prima necessária para a produção da vacina.

O instituto prometeu entregar mais 3,4 milhões de doses da CoronaVac a partir da próxima terça-feira (23), quando deve ficar pronto lote com 426 mil doses do imunizante. A expectativa é de que o fornecimento permita que cidades onde a vacinação foi paralisada retomem a aplicação das doses. 

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала