Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Novo sistema com 'sol' que gira ao contrário instiga astrônomos

© AP Photo / AP Photo/ESOSistema planetário em torno de anã vermelha
Sistema planetário em torno de anã vermelha - Sputnik Brasil, 1920, 18.02.2021
Nos siga no
Trio estelar com objeto central que gira de forma retrógrada gera novas teorias de desalinhamento gravitacional durante o surgimento de sistemas planetários.

Em 2019, astrônomos encontraram dois planetas em torno de uma estrela primária no sistema chamado K2-290. A estrela primária, chamada K2-290A, possui 1,2 massa solar e 1,5 raio solar, e é inclinada em 124 graus em comparação com as órbitas dos dois planetas que giram em torno dela. O sistema estelar triplo está localizado a 897 anos-luz de distância na constelação de Libra.

O desalinhamento dos três componentes do sistema estelar instiga os cientistas, já que "a maioria dos astrônomos acredita que o alinhamento spin-órbita fosse uma característica universal dos sistemas planetários", de acordo com o estudo publicado na Proceedings of the National Academy of Sciences.

A estrela primária (K2-290A) e seu planeta mais interno (K2-290B) têm um período orbital de 9,2 dias e um raio de três raios terrestres, comparável ao nosso Netuno mais quente. Já o planeta exterior (K2-290C) é como se fosse um Júpiter quente com período orbital de 48,4 dias e um raio de 11,3 raios terrestres.

© Foto / Christoffer GroenneRepresentação artística do sistema planetário K2-290
Novo sistema com 'sol' que gira ao contrário instiga astrônomos - Sputnik Brasil, 1920, 18.02.2021
Representação artística do sistema planetário K2-290

Nos estudos, a equipe da astrônoma Maria Hjorth, da Universidade Aarhus, analisou dados espectroscópicos de alta resolução obtidos para o novo sistema durante trânsitos de dois planetas na frente de sua estrela hospedeira, e percebeu que a estrela primária gira na direção oposta às órbitas planetárias.

"Sistemas semelhantes ao K2-290, com órbitas planetárias coplanares e uma estrela hospedeira grosseiramente desalinhada, foram previstos para existir como consequência do torque de maré em um disco protoplanetário de uma estrela vizinha", segundo texto do estudo.

Entretanto, girar para trás é o que parece causar mais curiosidade dos especialistas. "A turbulência e o torque do disco podem levar a discos protoplanetários desalinhados. No entanto, as órbitas retrógradas, conforme observado na K2-290A, são difíceis de alcançar por meio de turbulência, e a queda tardia do material levará a uma redução adicional de qualquer desalinhamento", observaram os astrônomos.

Por enquanto, os estudiosos estimam que o movimento retrógrado da estrela central do sistema está conectado ao desalinhamento de dois planetas que compõem o sistema.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала