'É uma piada': Erdogan acusa EUA de apoiarem 'terroristas' curdos no Iraque (VÍDEO)

© Sputnik / Ramil Sitdikov / Abrir o banco de imagensPresidente turco Recep Tayyip Erdogan em encontro com o homólogo russo Vladimir Putin (foto de arquivo)
Presidente turco Recep Tayyip Erdogan em encontro com o homólogo russo Vladimir Putin (foto de arquivo) - Sputnik Brasil, 1920, 15.02.2021
Nos siga noTelegram
O ministro da Defesa da Turquia disse no domingo (14) que 13 turcos foram sequestrados e executados por militantes curdos no norte do Iraque.

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, acusou nesta segunda-feira (15) os EUA de apoiarem militantes curdos que, segundo Ancara, teriam executado 13 turcos no norte do Iraque.

"A declaração feita pelos EUA é uma piada. Vocês disseram que não apoiavam os terroristas, quando, na verdade, estão do lado e por trás deles", declarou Erdogan, citado pela agência AFP.

O ministro da Defesa da Turquia, Hulusi Akar, afirmou no domingo (14) que 13 turcos anteriormente sequestrados, incluindo policiais, foram mortos a tiros por militantes do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK). Washington disse que condenaria os assassinatos se os relatos de que o PKK era o responsável fossem confirmados.

Na semana passada, Turquia lançou uma operação para combater o PKK. Até domingo (14), 48 militantes do PKK foram mortos durante a operação Pence Kartal-2 no norte do Iraque.

Fundado na década de 1970, o PKK lutou de armas nas mãos contra o governo de Ancara por décadas, exigindo a criação da autonomia curda no sudeste da Turquia. Um acordo de cessar-fogo alcançado em 2013 foi abortado dois anos depois.

Desde seu reinício, em julho de 2015, os ataques de rebeldes curdos mataram mais de 1.000 soldados e policiais turcos e cerca de 500 civis.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала