Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

AstraZeneca diz que vacina contra novas cepas da COVID-19 demoraria 9 meses para desenvolver

© Sputnik / Vladimir TrefilovSeringa e logo da farmacêutica AstraZeneca
Seringa e logo da farmacêutica AstraZeneca - Sputnik Brasil, 1920, 12.02.2021
Nos siga no
A gigante farmacêutica AstraZeneca revelou que a empresa está trabalhando na criação de uma vacina eficiente contra as novas variantes do SARS-CoV-2 mas que isso pode levar mais do que alguns meses.

No relatório financeiro de 2020 da empresa, publicado nesta quinta-feira (11), é indicado que a possível nova vacina seria desenvolvida em conjunto com a Universidade de Oxford "através da utilização de dados clínicos existentes e otimização de sua cadeia de fornecimento estabelecida".

"Em colaboração com a Universidade de Oxford, a AstraZeneca está focada na adaptação da C19VAZ às novas cepas da doença, se necessário, e espera reduzir o tempo requerido para atingir a produção em escala entre seis a nove meses", diz o relatório, que também reconhece que a vacina fornece apenas proteção "mínima" contra casos leves e moderados da variante sul-africana 501Y.V2.

A vacina da AstraZeneca de duas doses contra a COVID-19, reportada como tendo uma taxa de eficácia de 82,4%, foi inicialmente saudada por suas menores restrições nos requisitos de armazenamento e menor custo, mas logo se percebeu que a vacina tem algumas desvantagens. Mostrando eficácia contra a cepa britânica, não mostra resultados iguais com a variante da África do Sul.

O estudo realizado na África do Sul pela equipe de cientistas determinou que a vacina tem um nível de eficácia de cerca de 10%, citado pelo The Wall Street Jornal. Embora a variante sul-africana não seja mais letal do que outras cepas, ela é considerada muito mais infecciosa. Além da África do Sul, a variante foi detectada em seis outros países, com dois casos recentemente tendo surgido nos EUA, concretamente nos condados de Alameda e Santa Clara, na Califórnia.

O presidente-executivo da AstraZeneca, Pascal Soriot, reconheceu que a vacina não é perfeita, mas que o candidato é "excelente". "Quem mais está produzindo cem milhões de doses em fevereiro?", perguntou ele, antes de sublinhar que a companhia "tenciona salvar milhares de vidas e é por isso que devemos trabalhar todos os dias".

As notícias sobre aperfeiçoamentos da vacina da AstraZeneca surgiram pouco depois que a farmacêutica Moderna lançou uma iniciativa para desenvolver uma vacina de reforço para a COVID-19 que visa melhorar a proteção contra a mutação sul-africana. Apesar de a vacina da Moderna responder à cepa 501Y.V2, seu efeito não é tão alto quanto em outras mutações do vírus.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала