Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para
 - Sputnik Brasil, 1920
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Boulos reage a Haddad e Lula e diz que esquerda precisa de projetos, não de nomes

© Folhapress / Eduardo KnappO ex-presidente Lula ao lado de Fernando Haddad e Guilherme Boulos discursa no caminhão de som em frente ao Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo do Campo, em São Paulo
O ex-presidente Lula ao lado de Fernando Haddad e Guilherme Boulos discursa no caminhão de som em frente ao Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo do Campo, em São Paulo - Sputnik Brasil, 1920, 05.02.2021
Nos siga no
Coordenador do MTST (Movimento dos Trabalhadores sem Teto), Guilherme Boulos (PSOL) reagiu nesta sexta-feira (5) à notícia de que o ex-presidente Lula (PT) já endossa o nome de Fernando Haddad (PT) para a disputa das eleições presidenciais em 2022.

A reação de Boulos, que disputou a Presidência da República em 2018 e obteve 0,58% dos votos, veio pelo Twitter.

Na corrida pela prefeitura de São Paulo, no ano passado, Boulos foi ao segundo turno e recebeu 40,62% dos votos, perdendo para Bruno Covas (PSBD-SP). No primeiro turno, o candidato do PSOL teve 20,2%, dos votos válidos, enquanto o candidato do PT, Jilmar Tatto, teve 8,7%.

Haddad aceita pedido de Lula e vai botar 'o bloco na rua'

Nesta quinta-feira (4), o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad contou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva o pediu para que ele fosse candidato à Presidência da República mais uma vez. Isso aconteceria caso os direitos políticos de Lula continuem cassados. Haddad disse que aceita se candidatar novamente ao cargo.

"Ele [Lula] me chamou para uma conversa no último sábado (30) e disse que não temos mais tempo para esperar. Ele me pediu para colocar o bloco na rua e eu aceitei", afirmou Haddad em entrevista à TV 247.

Em 2018, Haddad foi ao segundo turno e recebeu 44,87% dos votos, perdendo para Jair Bolsonaro (atualmente sem partido, à época filiado ao PSL-RJ), que recebeu 55,13%. Nestas eleições, Lula já estava inelegível.

Para que o ex-presidente volte a ser candidato, suas duas condenações em segunda instância precisam ser revogadas. A primeira é o caso do triplex do Guarujá (SP), e a segunda é a do sítio de Atibaia (SP).

"Caso isso ocorra, ele terá o apoio de todos nós", afirmou Haddad, sobre a possível candidatura de Lula, na mesma entrevista.
© Foto / Ricardo StuckertLula e Fernando Haddad em comício durante a campanha eleitoral de 2016
Boulos reage a Haddad e Lula e diz que esquerda precisa de projetos, não de nomes - Sputnik Brasil, 1920, 05.02.2021
Lula e Fernando Haddad em comício durante a campanha eleitoral de 2016
Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала