De quase desértico a planícies férteis: vem à tona origem do antigo ecossistema da Ásia Oriental

© Depositphotos / JingaipingA vista aérea do rio Yangtzé – o maior rio da Ásia. Percorre 6.300 km desde sua nascente, do Tibete até o mar da China Oriental, permanecendo sempre no território da China
A vista aérea do rio Yangtzé – o maior rio da Ásia. Percorre 6.300 km desde sua nascente, do Tibete até o mar da China Oriental, permanecendo sempre no território da China  - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Pesquisadores do Reino Unido e da China descobriram que a biodiversidade única do ecossistema da Ásia Oriental foi formada devido ao crescimento do Tibete do Norte, não dos Himalaias ou Tibete do Sul, como era imaginado.

Anteriormente, acreditava-se que a transformação do ecossistema árido e quase desértico da Ásia Oriental em florestas e planícies férteis teria sido graças ao Tibete do Sul e aos Himalaias. Mas foi o Tibete do Norte que teve papel crucial na transformação do ecossistema há cerca de 50 milhões de anos.

Os pesquisadores modelaram a sensibilidade a acontecimentos externos do ecossistema da Ásia Oriental e realizaram 18 experimentos de sensibilidade, usando diferentes terrenos tibetanos do Paleogeno tardio ao Neogeno precoce, e diferentes cenários de crescimento do Tibete, segundo estudo publicado na revista Science Advances.

Os resultados da modelação mostraram que do Paleogeno tardio ao Neogeno precoce, há cerca de 23 milhões a 40 milhões de anos, o crescimento do norte e nordeste do Tibete levou ao aumento de precipitação e, especialmente, do inverno, na Ásia Oriental, que antes era marcada por um clima árido e quase desértico.

Essa transformação permitiu criar na região um clima quente e úmido estável, que contribuiu para a evolução e crescimento da fauna e flora.

"Sem o crescimento do Tibete do Norte não existiria nada disso", explicou Paul Velades, professor de Geografia Física da Universidade de Bristol, Reino Unido. "Essas montanhas diminuem a influência dos ventos de monções do inverno da Ásia Oriental no sul da China, causando invernos mais úmidos, e isso contribui para ampliação da biodiversidade."

Os autores acreditam que seus resultados foram recebidos devido ao uso de modelo climático inovador especialmente desenvolvido de previsão da biodiversidade da flora em conjunto com análise detalhada de fósseis.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала