Dinossauro com cabeça incomum descoberto há quase 1 século tem seu mistério revelado (FOTOS)

© Foto / Andrey Atuchin / Museu de Natureza e Ciência de Denver, EUA / EurekAlert!Reconstrução de um grupo de Parasaurolophus cyrtocristatus, ou parassaurolofos, confrontados há 75 milhões de anos por um tiranossauro nas florestas subtropicais do Novo México, EUA
Reconstrução de um grupo de Parasaurolophus cyrtocristatus, ou parassaurolofos, confrontados há 75 milhões de anos por um tiranossauro nas florestas subtropicais do Novo México, EUA - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Foi descoberto no Novo México, EUA, novo espécime do Parasaurolophus cyrtocristatus, ou parassaurolofo, cuja crista tubular tem sido alvo de especulação desde 1923.

Foram encontrados nos EUA os primeiros restos em um século de um parassaurolofo, dinossauro que vivia na América do Norte e Ásia entre 73,5 a 77 milhões de anos atrás, revela o portal ScienceDirect.

© Foto / Andrey Atuchin / EurekAlert!Reconstrução da cabeça de Parasaurolophus cyrtocristatus, ou parassaurolofo, com base em restos mortais descobertos no Novo México, EUA
Dinossauro com cabeça incomum descoberto há quase 1 século tem seu mistério revelado (FOTOS) - Sputnik Brasil
Reconstrução da cabeça de Parasaurolophus cyrtocristatus, ou parassaurolofo, com base em restos mortais descobertos no Novo México, EUA

O esqueleto, pertencente à espécie Parasaurolophus cyrtocristatus, e originalmente encontrado no estado do Novo México em 2017, ostenta uma bizarra passagem nasal em forma de tubo que veio pôr fim a desacordos de longa data sobre a estrutura da crista, desde que o dinossauro foi descoberto pela primeira vez em 1923, também no Novo México.

"Nos últimos 100 anos, as ideias sobre o propósito da exagerada crista tubular variaram desde esnórqueis a supercheiradores", explica David Evans, paleontologista no Museu Real de História Natural de Ontário, Canadá.

"Mas depois de décadas de estudo, pensamos agora que estas cristas funcionavam principalmente como ressonadores sonoros e atributos visuais usados para se comunicar dentro de sua própria espécie."

Joe Sertich, curador de dinossauros no Museu da Natureza e Ciência de Denver, Colorado, EUA, elogiou a descoberta.

"A preservação deste novo crânio é espetacular, revelando finalmente em detalhes os ossos que compõem a crista deste incrível dinossauro conhecido por quase todas as crianças obcecadas por dinossauros. Isto só reforça a importância de proteger nossas terras públicas para as descobertas científicas."

"Meu queixo caiu quando vi o fóssil pela primeira vez. Tenho estado esperando há quase 20 anos para ver um espécime desta qualidade", comentou Terry Gates, um paleontólogo da Universidade Estadual da Carolina do Norte, EUA, que estudou o dinossauro durante quase duas décadas.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала